1 de fev de 2010

Lammas, Jesus e a Colheita Feliz

Dia 2 de Fevereiro comemoramos no hemisfério Sul a celebração de Lammas, um dia sagrado no paganismo cuja origem remota aos cultos egípcios de fertilidade. Também comemoramos o Dia de Iemanjá, uma das mais importantes orixás dos cultos africanos; além disso, relacionados ao ritual de Lammas, Jesus e os Apóstolos nos darão dicas de como agradecer por sua Colheita Feliz. E, por mais incrível que pareça, todos os assuntos acima estão interligados!


Lammas é um dos oito Sabbats da Roda do Ano Celta/Wicca. Os quatro Sabbats principais (ou grandes) correspondem ao antigo ano gaélico e são chamados de Candlemas, Beltane, Lammas e Samhain. Os quatro menores são Equinócio de Primavera, Solstício de Verão, Equinócio do Outono e Solstício de Inverno.
Lammas, que ocorre entre o Solstício de Verão (Litha) e o Equinócio de Outono (Mabon), é a festa da primeira colheita, uma época de agradecimento aos Deuses por tudo o que colhemos. Agradece-se ao que foi bom e também ao que pareceu ruim, pois no paganismo crê-se que tudo o que acontece na vida faz parte no caminho evolutivo de cada um.

Lammas (ou Lughnasadh) é comemorado em 1 de Agosto no hemisfério Norte e 2 de Fevereiro no hemisfério Sul. O nome Lughnasadh veio duma festa agrícola típica dos celtas. Uma festa da colheita em honra ao deus céltico do Sol: Lugh (considerado o maior guerreiro dentre os celtas, pois derrotou os gigantes que exigiam sacrifícios humanos). Já o nome Lammas significa “Missa do Pão” (loaf Mass), que representa o alimento (geralmente pão ou bolo ou qualquer outra massa) feito com os grãos, que representam a colheita, e repartido (como alimento sagrado) entre os sacerdotes ou família ou mesmo entre amigos.

Este ritual já era praticado desde o Antigo Egito, logo após o período das cheias do Nilo (que ocorriam entre Junho e Setembro), período no qual aconteciam as principais colheitas e correspondiam aos signos de Ísis, Rá, Neit e Maat. Nestas celebrações, os sacerdotes, em número de doze (cada um representando um dos signos do zodíaco egípcio), juntos do Sumo-Sacerdote responsável pela celebração, reuniam-se neste sabbat para agradecer aos deuses pelas graças alcançadas.
Nestas celebrações, eram usados o pão (que representava o trigo colhido em sua forma final) e o vinho (que representava as uvas em sua forma final), que eram repartidos entre todos durante o ritual. Esta celebração também era realizada em outras datas festivas, como o Pessach.

Lammas e a Eucaristia
Este ritual foi praticado por Yeshua e seus discípulos e acabou se tornando conhecido como a “Santa Ceia” pelos católicos. Nos evangelhos, a Última Ceia (também chamada de “Ceia do Senhor” ou “Ceia Mística”) foi a última refeição compartilhada por Jesus com os doze apóstolos antes de sua “morte e ressurreição”. A Última Ceia tem sido objeto de várias pinturas, sendo a mais famosa o afresco de Leonardo da Vinci em Milão, pintada em 1498, repleta de referências Astrológicas.

Durante a Última Ceia, e em referência específica ao tomar o pão e o vinho, Jesus contou aos seus discípulos, “Façam isso em memória de mim”, (1 Coríntios 11:23–26). Outros eventos e diálogos foram gravados nos Evangelhos Sinóticos e no de São João. Todas as igrejas cristãs interpretam o descrito como a instituição da Eucaristia.

O vaso que era usado para servir o vinho ficou conhecido também como o “Cálice Sagrado”, e tem sido um dos supostos objetos da literatura do “Santo Graal” na mitologia cristã (embora fique claro que são duas taças distintas na mitologia católica).

A Última Ceia ocorreu na véspera da morte de Jesus. O Novo Testamento narra que Jesus pegou no pão em suas mãos, deu graças e disse aos Seus discípulos: “Este é o meu corpo que será entregue a vós”. Do mesmo modo, ao fim da ceia, Ele pegou o cálice em suas mãos, levantou ao alto e disse aos seus discípulos: “este é o meu sangue, o sangue da vida que será derramado por vós.”

O que o Ritual representa?
Atualmente, este ritual têm sido realizado como um ato simbólico, representando um agradecimento por tudo o que conseguimos colher neste período (sejam realizações materiais, intelectuais, emocionais ou espirituais). A sociedade atual e materialista (na qual “ser feliz” significa “ter dinheiro”) possui a mentalidade nefasta de estar sempre pedindo, pedindo, pedindo… mas poucos têm a humildade de agradecer; Lammas é um ritual que nos lembra exatamente disso. Agradecer pela colheita feliz que temos em nossas vidas. Como Jesus fez, os sacerdotes egipcios faziam antes dele e os magos celtas fazem até hoje.

Iemanjá e o 2 de Fevereiro
Agora sabemos o porquê da festa de agradecimento aqui no Hemisfério Sul, mas que relação isto teria com Iemanjá, senhora dos mares na Umbanda e no Candomblé?
A resposta é simples: basta entender como a Roda do ano funciona. Em Salvador, ocorre anualmente, no dia 2 de Fevereiro, uma das maiores festas do país em homenagem à “Rainha do Mar”. A celebração envolve milhares de pessoas que, trajadas de branco, saem em procissão até ao templo-mor, localizado próximo à foz do rio Vermelho, onde depositam variedades de oferendas, tais como espelhos, bijuterias, comidas, perfumes e toda sorte de agrados. Isso porque Iemanjá foi sincretizada à Nossa Senhora dos Viajantes, uma das diversas versões de Nossa Senhora que teve origem em Portugal no século XV. mas N. S. dos Viajantes foi uma adaptação da Santa conhecida como Nossa Senhora das Candeias (velas) ou Nossa Senhora da Candelária.
Esta santa, por sua vez, foi uma “adaptação” (para não dizer que os Católicos surrupiaram as datas das principais festas pagãs de novo) das festividades de Candlemas, também conhecido como Imbolc, Oimelc e Dia da Senhora.
Candlemas é o Festival do Fogo que celebra a chegada da Primavera. O aspecto invocado da Deusa nesse Sabbat é o de Brígida, a deusa celta do fogo, da sabedoria, da poesia e das fontes sagradas. Brigit também é conhecida como a Deusa-Tríplice, Senhora da Lua, filha de Dagda e uma das Tuatha de Danann. Uma versão celta da própria Ísis.
Como os sabbats são invertidos no hemisfério Norte e Sul, então enquanto comemoramos Lammas aqui no Brasil, os Europeus comemoram… isso mesmo! Candlemas!

Marcelo Del Debbio

Fonte: Teoria da Conspiração

Nenhum comentário:

Se algum artigo neste blog estiver como "autoria desconhecida" e você souber informar, agradecemos e faremos a devida correção. Solicitamos também que, ao ser extraída qualquer informação desta página, seja adicionada à devida autoria ou endereço:
http://clafilhasdalua.blogspot.com/