8 de mar de 2010

Dia da Mulher

Blogagem coletiva: Dia da Mulher

Olá meninas, não esperem parabéns de minha parte no dia de hoje... talvés algumas vão me achar ranzinza, até porque eu própria estou me achando! Acho que fico mesmo incomodada com esta data, assumo! E me sinto quase ofendida quando chegam e me abraçam dizendo: "parabéns pelo teu dia" ou "parabéns pelo nosso dia", ai é de doer (nada pessoal gente, e quem me comprimentou não sinta-se mal, eu entendo). É que minha mente "pequenina" ainda tem muito o que aprender.
Reconheço a importância da história e da contação de histórias e que fatos e acontecimentos marcantes podem e devem ser lembrados para nos levarem a refletir... mas contem a história direito (AQUI) e por favor, não resumam ela em 1 dia. Acho muito estranho comemorar a existência de pessoas, de gênero, de classe social (ou prestar homenagem à sangue e suor derramados) em uma única data?! Ai, é bem difícil para mim compreender, mas juro que procuro desfocar minha lente para enxergar com "outros olhos". Sei que a data é simbólica mas há que se ter mais Amor pela causa do que pelo símbolo.
Entendo que houve um período que foi preciso lutar, brigar, combater, para e pelas questões de gênero... o feminismo político nos trouxe muitas glórias, mas penso que já entramos em outro tempo e não é possível nos mantermos com o mesmo texto. Algumas vão dizer: "Mas faz tão pouco tempo que ganhamos vóz?!! E ainda tem tanto para ser buscado, recuperado". Sim, mas nosso tempo já é outro, as coisas mudam rapidamente e o processo de tomada de Cosciência não pode mais ser lento, não temos mais tempo para blá blá blá.

Há todo um trabalho que vem sendo realizado pelo Movimento de Espiritualidade Feminina, nos bastidores sim, que também dá voz à mulher, dentro dos Círculos, para que o empoderamento desta Mulher venha de uma forma suave e fluída, próprio da natureza feminina. Para que fora do Círculo (fora nunca estamos) sua política seja praticada e exercida sem agressividade. Já vi mulheres legislar e muito bem, de forma suave e ponderada. Mas temos visto mulheres "guerreando" em qualquer setor da vida pública e bem sabemos que na vida privada não é diferente.
Aí algumas vão dizer: Mas também, temos que "matar um leão" por dia! Que matar? que Leão? Quem é realmente a presa e quem é o predador. E "matar" gente?! Chega de violência, chega desses termos agressivos, carregados de medo. Se não mudarmos nosso pensamento, nossa linguagem, nossa visão, nada vai mudar.
O que mais vejo acontecer é que se estabelece um período do ano para se tratar de determinados assuntos e pouco se evolui no restante do ano. Ou nem dão continuidade para as tratativas e articulações estabelecidas na tal data (com certeza aqui não estou me referindo às ativistas que em qualquer tempo ou clima defendem os direitos e espaços de "quaisquer SERES VIVOS").
Eu , sinceramente, sempre fui um pouco resistente a este "8 de março". Acho estranho instituir datas para celebrar algo que é importante que celebremos todos os dias da vida. Acho que já falei disso aqui. Assim como o dia do negro, da secretária, da empregada doméstica, do motorista de ônibus, da mãe, do pai, das crianças, da avó, do coelho... ai por favor... essas datas viraram motivo de mais consumo ou referência para "lembrar" daqueles que nunca são lembrados, valorizados ou que foram oprimidos e sofreram violências... já pensou... vai faltar dia do ano!

Hoje acordei como em qualquer outro dia, coloquei um vestidinho (velho de guerra), a mesma "rasteirinha" de sempre e um bolerinho de crochê (este é novo), mas nada demais entende... colares, brincos, pulseira (aqueles "penduricalhos" que nunca faltam em mim)... fui desenvolver minhas atividades... logo de manhã recebi dois elogios: "como ela está boniiita". Pensei: deve ser o bolerinho!!
Logo vi chegar uma mulher de vestido, colar, toda sorridente e feliz: "Parabéns meninas pelo nosso dia". Olhei pela janela, vi uma mulher passando... saião, blusa, colares, na beca e na pose chamando a atenção... não sei se como eu, se vestem sempre assim ou se nesse dia a mulherada se empolga e deixa o Feminino falar mais alto. Não sei se é a egrégora já formada na data que faz com que as pessoas te olhem diferente ou se realmente exalamos algo diferente. Em seguida, chegou outra mulher, esta de camiseta, calça, sem acessórios, bem simples... mas com um sorrisão no rosto que até agora estou admirando aquela mulher. Não sei o nome, não a conheço, nunca a vi. Mas valeu o sorriso!
Voltei para casa pensando: "Mas todo dia eu sou bonita, se estou mais arrumada ou não, não é isso que vai dizer quem eu sou. E não é isso que me torna bonita". Quando nos arrumamos para determinada data ou ocasião, as pessoas acabam enxergando somente o externo.
É isso... as pessoas estão observando e elogiando somente o externo, é o mau atual, excesso de exterioridade. Posso estar linda por fora e um "caco" por dentro e talvés ninguém vai perceber, pois não me olharam nos olhos. Posso estar com o velho "vestidinho de guerra" e estar atraente, se irradio brilho interior. Pensemos nisso!

A tarde fui dar uma 'espiada' nas comemorações do tal "Dia da Mulher" em meu município, se tivesse ouvido minha intuição esta postagem estava no blog mais cedo. Fiquei 15 min. e voltei para casa. As mesmas falas, os mesmos painéis, uma infinidade de siglas, uma organização distante e as "carinhas" nas cadeiras... de doer mais um pouco. Algumas tomam coragem e vão ocupar seu tempo de forma mais prazerosa... vão até o coquetel e saem de fininho. Ou ficam pela frente do local batendo um papo. Claro!
Sinto que algumas vão por obrigação, outras com esperança que algo diferente encontrem por lá, outras por amor à causa, outras como eu, porque não escutaram sua intuição, hahaha.
De forma alguma estou generalizando viu pessoal, sei que tem muita coisa boa acontecendo por aí, inclusive esta semana pretendo ir à municípios vizinhos participar da programação. Mas honro mesmo e homenageio, àqueles e àquelas que, em qualquer tempo e espaço exaltam a Mulher, valorizam o Ser Feminino, criam e ofertam Espaços de Encontro, de Acolhida, de Fala e de Escuta para Elas... recebem com flores, com aromas, com mimos ou sorrisos em qualquer dia ou momento.

Às Mulheres:
Comemorem e Celebrem todos os dias o SER MULHER. Valorizem-se e cultivem o Feminino em Si... admirem e elogiem o Feminino na Outra. Se deêm presentes ou se enfeitem em qualquer dia. Celebrem a vida com a mesma intesidade que amam. Amem com a mesma intensidade que fazem política. Façam dos Encontros, algo prazeroso. Entre uma ação intelectual e outra, levantem para dançar, rsrsrs.

Beijos no coração de todas vocês, mulheres amadas.
Eu Sou Ana Paula Andrade e Assim falei.

Nenhum comentário:

Se algum artigo neste blog estiver como "autoria desconhecida" e você souber informar, agradecemos e faremos a devida correção. Solicitamos também que, ao ser extraída qualquer informação desta página, seja adicionada à devida autoria ou endereço:
http://clafilhasdalua.blogspot.com/