30 de nov de 2010

Menstruação

Olá meninas, mulheres, irmãs... compartilho o texto que recebi esta semana de uma irmã que tem buscado a si mesma nos Círculos Femininos e como estou sangrando nesta lua minguante faço minhas as palavras de Lydiah de Arddhu, abaixo.
Beijos rubros,
Ana Andrade 

LUA MINGUANTE no céu... eu vivenciando minha totalidade, sorvendo do que me oferecem os muitos mundos... e menstruada.
Os que conhecem e/ou praticam a Antiga Religião, o Sagrado Feminino, sabem o que esta mesma trindade pode fazer.
Um tempo em que o Feminino mergulha em todos os meus espaços e me faz mais bruxa do que em qualquer outro tempo.
Os que não conhecem e/ou praticam a Antiga Religião podem ficar horas e horas tentando encontrar a razão e, ainda sim, terminar por não encontrá-la.
A modernidade ensina às mulheres que menstruar é algo sem sentido quando não há o propósito de engravidar - e muitos médicos conceituados desenvolvem tratamentos eficazes a fim de livrar suas pacientes de tamanho incômodo. Céus!
Como as mulheres abrem mão de sua essência e poder com tanta facilidade!
Dentro da Antiga Religião, mulheres, bruxas, sacerdotisas, todas são criaturas poderosas. Mas em nenhum momento tal poder é tão gigantesco quanto no período menstrual.
Algumas (ou muitas) de nós ainda regam a terra com seu sangue menstrual, proporcionando o alimento energético feminino ao planeta.
Algumas (ou muitas) de nós ainda separam parte do sangue menstrual para a unção de objetos, lugares sagrados e pessoas queridas.
Algumas (ou muitas) de nós ainda vivencia plenamente a sabedoria do tempo menstrual, certa de que o sangue sagrado é seu aliado em todos os planos.
Alguns (ou muitos) dos nossos homens ainda anseiam pelo nosso período menstrual como quem anseia pela própria seiva da vida.
Alguns (ou muitos) dos nossos homens ainda reverenciam nosso período menstrual e todo o poder contido nele, traduzido em nossas palavras e atitudes.
Alguns (ou muitos) dos nossos homens ainda reservam para o período menstrual suas melhores performances  - mágicas e sexuais.
Mas somos apenas bárbaros... criaturas ultrapassadas sem qualquer noção dos incríveis avanços científicos... sendo assim, nem vale à pena as mulheres modernas deixarem de lado seus comprimidos antimenstruação... nem vale à pena os homens modernos deixarem de lado a idéia de que menstruação é sinônimo de transa incompleta e enfadonha... nem vale à pena.
Sejam a modernidade plena, enquanto eu vivencio plenamente a minha totalidade.

Lydiah de Arddhu


Nenhum comentário:

Se algum artigo neste blog estiver como "autoria desconhecida" e você souber informar, agradecemos e faremos a devida correção. Solicitamos também que, ao ser extraída qualquer informação desta página, seja adicionada à devida autoria ou endereço:
http://clafilhasdalua.blogspot.com/