13 de out de 2013

Ame seu corpo, você é linda!

Lindas, o corpo feminino é lindo do jeito que é... olha que beleza essa postagem que encontrei navegando por aí...

Ame seu corpo, você é linda!
Se você nunca se olhou no espelho e se incomodou com seu corpo, com alguma parte, ou ficou preocupada(o) com tamanhos, cores, formato e/ou nunca fez comparações, parabéns, você é foda, e provavelmente, faz parte de um grupo bem pequeno;

Desde pequenos somos bombardeados e condicionados a regras e padrões de comportamento e estética, de todos os lados, de nossos próprios familiares que já passaram por um condicionamento, nos desenhos que assistimos, nos gibis, nas histórinhas que ouvimos, na televisão, na escola. As cobranças vem aos montes e não sabemos o que fazer, afinal, acabamos de chegar nesse caos, chamado Terra, como é tudo novidade e vendo os “veteranos” dizendo que é assim que as coisas funcionam por aqui, acabamos acatando essas cobranças e exigências e acreditamos nelas, viram mais um item da lista de “deveres”, mais um item dos passos para “uma vida bem sucedida”.

As mulheres sofrem mais, talvez seja por isso que dizem que as mulheres amadurecem primeiro, ainda nem saíram do ventre da mãe e já aparecem críticas, comentários infames : “Ih, vai dar trabalho !”; “Vai ter dor de cabeça, hein?!”. Mas na verdade, quem vai ter dor de cabeça e ter de enfrentar muita coisa, é a própria que acaba de nascer. A mulher é tratada como mercadoria no mundo em que vivemos, quando não é tratada como mercadoria, é tratada como estratégia de venda, criam esteriótipos e inventam biotipos para vender produtos supérfluos e obrigam as mulheres a agirem como tal, para serem aceitas, desejadas; A boneca é magra, alta, loira e de olhos claros, as personagens das histórias sempre são as mais belas, as vilãs são as feias, as “diferentes”, quem não se encaixa no padrão determinado, não é bonita, não é “mulher de verdade”, não é “feminina”.

Os anos passam, e cada vez são criadas novas “regras”, surgem produtos novos, e pra vende-los e consolidarem um público, regras e padrões são impostos; roupas, giletes, perfumes, sapatos, doutrinas; E quem não aceita, sofre preconceito e rejeição.

Isso ainda acontece – como a maioria das merdas que ainda existem – por causa da nossa conivência e cumplicidade com estas regras imbecis que pequenos grupos impõe visando sempre o lucro, vender, alimentar o capitalismo. Não tenho muita bagagem para falar sobre esse assunto, mas deixarei dois lindos projetos que fazem uma afronta a essas ditaduras, vamos ao primeiro:

Batalha dos Corpos

Projeto que surgiu atráves do trabalho para uma matéria de Antropologia Visual e busca desdobrar-se para além do mundo universitário e acadêmico (claramente discriminatório em diversos níveis). Quatro mulheres tiraram fotos das partes de seus corpos que mais as incomodam de alguma maneira por não corresponderem ao padrão machista, racista e misógino de beleza.


Queremos deixar claro ao mundo que o Photoshop é uma forma de fazer censura ! Uma recente pesquisa britânica revela que metade das garotas de 6 anos já estão infelizes por causa da aparência de seus corpos.

Isso acontece porque o que se vê no espelho, não é aquilo que aparece nas revistas, o importante detalhe, porém, é que o que se vê nas revistas É MENTIRA !!!!!

O projeto consiste em um Tumblr onde mulheres enviam suas fotos com um depoimento onde contam quando e por que já se sentiram censuradas, humilhadas, diminuídas, por determinada área ou seu corpo não fazer parte dos “padrões aceitos pela sociedade”.
2
2-2
2-3
Sofri bullying em toda minha vida escolar e me refugiei na internet como um escapismo pra tudo que eu vivia. Na escola, os meninos nunca me paqueravam, eu não era a que beijava nas viagens, era só a “gordinha-engraçada-amiga-de-todos” Quando minha mãe me colocou na dança, todas brincavam de desfile e meu apelido era “Gisele Bucho”. Minha avó disse que meus peitos eram caídos e “vesgos”. Ela falou como se meus seios fossem alguém e esse alguém era deformado por ser vesgo. A testa da minha vagina é muito grande e minha bunda é cheia de celulites. Quando eu relutava em colocar o biquine na praia, que era meu fardo, sempre falavam: Mas olha aquela coisa, é pior que você. Aquela “coisa” era uma mulher gordinha, assim como eu, mas com alguns “defeitos” mais acentuados. Aquela coisa era um ser humano, aquela “coisa” tinha sentimentos e só porque não se encaixava no padrão imposto pela sociedade, era uma coisa. Chegou um ponto em que eu parei no espelho e disse: “Cadê? Cadê algo pra que eu ache bonito em mim?” Por que tudo que eu tenho é considerado normal e a parte ao bonito. Então, eu sou uma construção deformada? Eu não errei, quando nasci, não tinha nenhum botão pra apertar pra nascer com o corpo de modelo. Esse é meu biotipo, herdado por mim, e porque minha construção é tida como deformada para a sociedade? A verdade é que eu ainda não aceitei meu corpo, ainda sou virgem e não me dei a oportunidade de ter prazer por uma simples vergonha, mas estou caminhando para isso é esse blog me mostrou que eu não estava só nisso. Obrigada!
1
me descobri bissexual, sentia atração por meninos e meninas… e então me falaram que isso era errado, era coisa de gente indecisa
descobri que me sentia mais confortável sem depilar meu sexo… e então me disseram que isso era coisa de mulher suja
comecei a amar um rapaz e descobri que não tinha nojo de esperma.. e então me disseram que isso era coisa de puta
me descobri voyer, tinha o desejo de ver meu namorado com outra … e então me falaram que isso era coisa de mulher corna
me descobri poliamorista e começamos a namorar uma mulher, num relacionamento a três … e então me falaram que isso não era relacionamento, era suruba, coisa de gente doida
por todas essas coisas eu me descobri sincera comigo mesma… e então me julgaram doente
haverá um dia em que minhas descobertas serão só minhas? ou minha felicidade terá que passar eternamente por aprovação?


The Nu Project

O The Nu Project é um projeto de retratos nus, que mostram a beleza de cada corpo. A missão do projeto é construir um arquivo de fotografia de nu de mulheres ao redor do mundo e ser um recurso para beleza, auto-amor e positividade.

Por trás do projeto estão os fotógrafos Matt Blum e Katy Kesller.

Com fotos descontraídas, “mais humanas” e sem tratamento (o famoso Photoshop), retratam a beleza e a pluralidade dos corpos das mulheres ao redor do mundo, sem seguir a ditadura da beleza e derivados.

Abaixo, fotos do projeto feitas aqui no Brasil :
02_Brazil12_0462
04_Brazil12_0406
04_Brazil12_2104 1
07_Brazil12_0662
09_Brazil12_2021
13_Brazil12_0400 1
14_Brazil12_1252
22_Brazil12_0166
Fonte:
http://boemiaeafins.wordpress.com/2013/09/29/ame-seu-corpo-voce-e-linda/

Nenhum comentário:

Se algum artigo neste blog estiver como "autoria desconhecida" e você souber informar, agradecemos e faremos a devida correção. Solicitamos também que, ao ser extraída qualquer informação desta página, seja adicionada à devida autoria ou endereço:
http://clafilhasdalua.blogspot.com/