21 de abr de 2015

Tempos de reflexões...



Como é bom me colocar neste lugar de observadora e somente observar, sem julgar ou tentar entender, apenas observar... e constatar que estou em paz com o que tem aqui Dentro da Ana Paula . Com tudo que tem aqui Dentro.

Temos uma história e é muito bom quando não procuramos mais culpados nesta história, e nem mesmo nos culpamos, apenas honramos cada personagem desta grande peça da Vida, que fizeram o que souberam fazer neste palco. E que tem pessoas que saem de cena, e que tem outras que roubam a cena (porque desempenham muito bem o seu papel) marcando nossa Vida. E aqui não estou qualificando bem ou mal, bom ou ruim, apenas o que se apresentou e o que ainda permitimos que se apresente, neste grande palco que é a Vida!
Já vesti muitos papéis, já fiz drama, já fiz comédia, já fui megera, bruxa, vilã, menina boazinha, a coitadinha, a desenquadrada e a quadrada... AGORA, escolho ser UM CÍRCULO!
No Círculo investiguei cada cantinho da minha alma que me tornava quadrada. E que me dava a possibilidade de esconder-me de mim mesma! Me tornando um círculo aprendi tanto de mim... e tenho tanto para ver de mim ainda que quero seguir sendo isto. 
O círculo de mulheres me colocou diante de mim mesma e me trouxe a identificação do meu Projeto Celeste aqui na Terra. 
O que sinto é algo intangível - O Círculo me absorve e eu absorvo o círculo... e algo mágico acontece. Em círculo de mulheres me sinto inteira, completa, verdadeiramente Eu.

FORMAÇÃO GERADORA DE CÍRCULOS FEMININOS
Conheça o propósito e a história deste projeto:

Se a tristeza chegar, trança teu cabelo


"A minha avó dizia-me que quando uma mulher se sentisse triste, o melhor que podia fazer era entrançar o seu cabelo; de modo que a dor ficasse presa no cabelo e não pudesse atingir o resto do corpo. Havia que ter cuidado para que a tristeza não entrasse nos olhos, porque iria fazer com que chorassem, também não era bom deixar entrar a tristeza nos nossos lábios porque iria forçá-los a dizer coisas que não eram verdadeiras, que também não se metesse nas mãos porque se pode deixar tostar demais o café ou queimar a massa. Porque a tristeza gosta do sabor amargo.
Quando te sintas triste menina- dizia a minha avó- entrança o cabelo, prende a dor na madeixa e deixa escapar o cabelo solto quando o vento do norte sopre com força. O nosso cabelo é uma rede capaz de apanhar tudo, é forte como as raízes do cipreste e suave como a espuma do atole.
Que não te apanhe desprevenida a melancolia minha neta, ainda que tenhas o coração despedaçado ou os ossos frios com alguma ausência. Não deixes que a tristeza entre em ti com o teu cabelo solto, porque ela irá fluir em cascata através dos canais que a lua traçou no teu corpo. Trança a tua tristeza, dizia. Trança sempre a tua tristeza.
E na manhã ao acordar com o canto do pássaro, ele encontrará a tristeza pálida e desvanecida entre o trançar dos teus cabelos…"

- Rui Sá




"Não nasci para ser adequada, coerente, adorável. Nasci para ser gente. Para sentir de verdade. Tenho vocação para transparências e não preciso ser interessante o tempo todo. Por isso, não espere que eu supere as suas expectativas: às vezes, nem eu supero as minhas."
Marla de Queiroz


2 de abr de 2015

Refexão sobre a Páscoa

Hoje acordei um tanto conectada ao Espírito da Páscoa. Eu e meu companheiro não costumamos comemorar ou aderir a estas datas "comerciais", mas costumamos refletir sobre o tema ou sua origem.
Hoje, enquanto lavava louça e refletia sobre este homem (Jesus) revolucionário, escuto a Voz que vem de Dentro me dizer:

"Jesus foi um revolucionário pacífico. Ele falava de Paz, de Amor, mas instigava pessoas a pensar diferente. Ele não desejava a guerra, mas tinha consciência de que a revolução traz caos e desordem. Que haveria a necessidade de gerar o caos e a desordem para desorganizar o sistema vigente e instalar um novo sistema.
Ele tinha conhecimento de seu projeto celeste aqui na Terra e sabia bem o que fazer aqui. E se fosse preciso um sacrifício por isso, ele o faria! Portanto, não foram vocês que causaram a crucificação, porque isto já era uma possibilidade existente. Mas vocês geraram a possibilidade da Ressurreição, pois por vocês Ele Renasceu!
Sua Ressurreição teve o propósito de limpar a culpa (absolver os culpados). Ele retornou para resgatar àquele que se punia em sua consciência, por pensar que teria o traído. Disse que não ascenderia ao Céu se não o livrasse da culpa.
Jesus nos diz: Não há culpados!!"

Compreendi com esta mensagem que a Mensagem de Jesus está VIVA e atuante mais do que nunca. Que a energia Crística paira sobre a Terra neste momento da humanidade (nesta idade da humanidade) muito fortemente. Nos encontramos em meio ao caos e a desordem, revolucionando tudo e muita coisa, internamente e externamente. Tudo isso para modificar um Sistema (seja este um sistema de crenças, de ordem e estrutura, interno ou externo, um sistema econômico ou hegemônico). E ao mesmo tempo que somos aquele (a) que revoluciona, somos a Revolução, o caos, a desordem. E podemos OU NÃO gerar guerra. Neste processo, dor e "baixas" são inevitáveis, mas não precisamos sofrer. Porque não há culpados!
E é justamente pela liberação desta memória de Dor e Sofrimento, de CULPA e PUNIÇÃO que estamos vivendo a REDENÇÃO.
Estamos diante da REDENÇÃO meus irmãos. É tempo de render-se, de afirmar: EU ME RENDO AMOR!
O Redentor está passando em nossas Vidas, em cada Casa, em cada Coração.

Cantemos: Abro a janela do meu coração: Entrego, Confio, Aceito e Agradeço.

No mito católico, Judas Iscariotes é a personificação da Culpa. Se há em você alguma identificação interna com a traição ou a culpa, lembre-se, isso já foi limpo e libertado. O que vivemos é uma ilusão ou uma ressonância.

"Eu vos digo meus irmãos: Muitos estão no tempo do crematório e estão ardendo em chamas para consumir algo que já não lhes pertence mais. Um novo corpo lhes será dado, um corpo de cinzas! De onde todos vocês renascerão!" (Um coração)



Se algum artigo neste blog estiver como "autoria desconhecida" e você souber informar, agradecemos e faremos a devida correção. Solicitamos também que, ao ser extraída qualquer informação desta página, seja adicionada à devida autoria ou endereço:
http://clafilhasdalua.blogspot.com/