30 de jul de 2012

A MENSTRUAÇÃO E A LUA

Autor: José Laércio do Egito


" Embora a ciência oficial não reconheça, nem por isso deixa de existir uma forte ligação entre a Lua e a mulher, a qual deixou de sentir a interação entre a sua menstruação e as fases da Lua, como resultado de um ardil estabelecido contra o feminino. Hoje as mulheres vivem repletas de queixas orgânicas, psíquicas preocupantes, e para se curar de inúmeros distúrbios não será por meio do uso apenas de remédios, bem mais que isso ela precisa reintegrar-se com a natureza em geral e com a Lua em especial.
Não se pode negar que a Lua exerce uma ação muito grande sobre vários elementos da terra. Não é somente sobre o mar, produzindo marés. Existe o chamado princípio físico da capilaridade que controla o fluxo líquido em tubos capilares. Tudo o que depende de irrigação capilar, sofre influencia da Lua, pois ela não tem ação somente sobre a macro-maré (oceano), mas também nas micro-marés (fluxos capilares). 
O mecanismo que faz com que a seiva de um vegetal flua para cima é regido pelo principio da capilaridade. É por isso que a Lua interfere tanto na terra. Se não houvesse o efeito da Lua, o mecanismo de capilaridade, de fluxo de seiva seria totalmente diferente e com certeza o mundo vegetal seria diferente, composto por outro tipo de flora; consequentemente tudo aquilo que depende das formas vegetais conhecidas seriam influenciadas. Sem a Lua não haveria maré, e sem maré o ritmo do vento seria diferente, assim toda a vida manifesta biologicamente na terra seria drasticamente afetada. A menstruação é um processo que envolve vasos capilares (micro artérias e veias), portanto sujeita aos princípios físicos que regem a capilaridade. Naturalmente a gravidade lunar interfere nesse processo do qual a menstruação tem a ver diretamente. Essa é uma explicação física, mas há outros processos em nível de energia que nesta palestra declinamos de descrever.

Na verdade o organismo produz hormônios que agem sobre a circulação genital, em especial a ovariana e uterina; agem sobre a micro circulação genital e disso resulta um conflito muito grande, por um lado a substancia química provocando, por exemplo, uma dilatação, enquanto por outro a Lua provocando uma vaso constrição. É bem diferente quando as duas ações estão em sincronia. 
Diante do que escrevemos; a mulher deve estabelecer uma sincronização do seu organismo com as fases da Lua. Para isso há vários meios, talvez o mais simples seja o estabelecimento de um diálogo constante com a Lua, falar com ela, vê-la com carinho, admira-la; cante canções que falam do luar; escute música relacionada, permaneça algum tempo exposta a sua luz. Converse com ela, aja como se ela fosse sua confidente. Na verdade talvez essa comunicação não ocorra como algo objetivo, mas o propósito é condicionar a mente a interagir de acordo com a fase da Lua. Nenhum aparelho pode registrar que um diálogo seja assim estabelecido, mas indubitavelmente a mente começa a atuar de conformidade com o rito lunar. Mesmo que o mecanismo de atuação seja imaginativo, seja um processo de condicionamento mental, não faz diferença, não importa se se trata de uma ocorrência objetiva, pois o que realmente interessa que seja efetiva, mesmo que se trate de algo se é algo objetivo, ou mesmo sugestivo, ocorre. O que é significativo é a ocorrência de um condicionamento mental atuante.
Na fase crescente, procure imaginar seu útero aumentando suavemente de volume, sua menstruação ocorrendo na fase da Lua Cheia, que independentemente do processo que determine isso a mente que comanda as funções orgânicas, o fluxo menstrual vai se regularizando progressivamente. Quando a imagem da Lua for diminuindo, visualize o útero também diminuindo.

Por certo que a pessoa com essa prática não vai sentir o efeito nos primeiros meses; a dissintonia que existe na maioria das mulheres é um processo demorado de ser solucionado, pois precisa ser quebrado aquilo que por anos e anos foi sendo estabelecido. Romper com um processo “cristalizado” não acontece rapidamente. Mas, com a persistência o efeito será notável; chegará o momento em que o organismo estará plenamente sincronizado com as fases da lua. 
Assim como na crescente a imagem lunar vai se ampliando, o mesmo também irá ocorrendo com o endométrio, para iniciar o processo menstrual nos dias da Lua Nova. Ver a Lua como se ela fosse se esvaziando – minguando – e o mesmo ocorrendo em seu organismo, que algo está se exaurindo dele (energia espúria). Esse processo necessita tempo, mas após poucos anos seu ciclo estará totalmente em sincronia com a fase da lua, por certo a menstruação ocorrerá na lua cheia, sua saúde ginecológica será ótima e a menopausa sem problemas. No passado, em especial nas culturas nativas, a menstruação era uma atividade fisiológica com ciclo exato de 28 dias (ciclo lunar) e a menstruação ocorria precisamente na Lua Nova. Na medida em que a mulher perdeu o vinculo com a Lua, a sua menstruação se tornou aleatória, irregular em freqüência em duração, e isso é causa de muitos distúrbios ginecológicos, e de outros sistemas orgânicos, em especial no campo psíquico.

Não estamos afirmando, mas também não estamos negando, que esse processo de sintonia seja determinado fisicamente por alguma força física da Lua. Para as pessoas comuns, é mais fácil aceitar que seja uma decorrência de um condicionamento puramente mental. Não se pode negar que o mental pode facilmente ser condicionado, o organismo tem os chamados reflexos condicionados; muitas funções podem ser condicionadas, e essa interação entre a mulher e a Lua também o pode ser. Certos exercícios podem atuar como efetivadores de reflexos orgânicos, e no caso em estudo, regularizando o ciclo menstrual e, consequentemente, corrigindo muitos distúrbios. 
Entre as mulheres vem sendo desenvolvida uma repulsa tão grande à menstruação, que muitas estão provocando através se hormônios uma amenorréia (falta de menstruação). O resultado é previsível, elas pensam que ficam livres do incômodo físico, na verdade isso acontece, porém a um altíssimo custo. Elas ignoram que com essa prática vão se tornando um “poço” de problemas orgânicos, de distúrbios cada vez mais sérios, em especial na área mental, um processo crescente de neurotização ou o que é pior de cancerização.
A Lua não atua sem o Sol, há necessidade de plena interação entre esses dois astros, de igual forma a mulher não atua plenamente sem o homem. Masculino e feminino são polaridades de uma mesma condição. Na união das polaridades está o Infinito, na verdadeira união entre o masculino e o feminino está o equilíbrio infinito.
Há muitos outros exercícios para a regularização da menstruação. Há outros complementares, e até mesmo básicos para o restabelecimento da interação entre a mulher e a natureza.
Avante, tenham coragem, invistam no processo de sua libertação, reconquistem o poder feminino que lhe usurparam. Você, minha amiga, lembre-se, é representante da Mãe Natureza. 
Os lenhadores sempre afirmaram que a madeira cortada em período de lua cheia facilmente era atacada por insetos, por isso para a obtenção de madeira resistente eles só abatiam arvores em “noite escura” – período de lua nova. Os botânicos diziam que isso não tinha fundamente, que era superstição apenas, mesmo que a pratica mostrasse o inverso. Depois foi a própria ciência quem descobriu a razão. No período de lua cheia os capilares que conduzem a seiva se dilatam e assim muitos alcalóides podem ascender pelo caule. Quando a arvore é derrubada nessa fase há mais desses alcalóide e consequentemente mais alimento para insetos, tais como o cupim, por exemplo. Assim mais facilmente a madeira é preferida pelos insetos devoradores."

25 de jul de 2012

O ponto de virada no processo de crescimento é quando você descobre o centro da força dentro de você, que sobrevive a qualquer sofrimento. 
(Max Lerner)




15 de jul de 2012

Curso de Shantala - 21 de julho de 2012 - Porto Alegre

Clique na imagem para ampliar

21 de julho de 2012
Sábado 
Curso de Shantala 
Uma experiência de Amor
Com Fabiana Panassol
Hora: 10h ás 12h
Shantala é uma massagem tradicional da Índia, especialmente indicada para bebês com 30 dias de vida em diante, para manter ou restabelecer seu  equilíbrio físico, emocional e energético.
Foi descoberta pelo médico francês Fréderick Leboyer, que a apresentou de forma encantadora  ao Ocidente, através do livro Shantala ( em homenagem aquela mãe que massageava seu filho, em plena rua de Calcutá).
Massagear com carinho e amor, é a essência principal da Shantala,  por isso não tem contra indicação, é só a mamãe aprender o passo a passo desta técnica e começar a praticar. O bebê que recebe a massagem, vai desenvolver uma visão do mundo sem medo e com mais prazer no seu dia a dia.
A Shantala é curativa, ajuda a aliviar as cólicas e dá mais conforto ao bebê, quando recebe o toque da mamãe. Ajuda a relaxá-lo e dormir melhor. Alonga o seu corpinho no todo, pés, mãos, costas, rosto, barriguinha. Dá firmeza nos músculos. Fortalece seu sistema imunológico. A mamãe ou papai, coloca-se, completamente em atenção, cuidado e carinho neste momento maravilhoso e o bebê torna-se mais amoroso, saudável e tranquilo.
 
A Shantala é feita com óleo de massagem, em suaves movimentos com as mãos levemente aquecidas, que deslizam livres, suaves e macias, percorrendo todo o bebê.
Coloca-se uma música suave no ambiente, olhares se tornam cúmplices e dizem mais que mil palavras...
 
Venha conhecer e praticar a Shantala, oficina especial e interativa para pais, gestantes, casais grávidos, cuidadores ou profissionais que desejam conhecer esta técnica simples, porém profunda e reveladora.
 
Aproveite ótimos dias mais felizes com seu bebê.
 
Investimento: R$ 120,00 com polígrafo do passo a passo

Local: ESPAÇO RAPA NUY
Rua Delfino Riet, 116 - Sto. Antônio - POA/RS
(ônibus Caldre Fião ou lotação Canal 10)

Trazer uma manta, ou canga para colocar o bebê sobre o colchonete
Um frasco de óleo para massagem ( para quem vier com bebê)
Boneco ( para gestantes, cuidadores, profissionais e casais grávidos)

Facilitadora:
Fabiana Panassol-
Focalizadora do espaço Luz Materna em Porto Alegre com atividades focadas na gravidez, parto e maternidade. Especialista em Shantala. Yoga para Gestantes e preparação ao parto. Orientadora pré e pós natal. Doula. Terapeuta Reiki. Cromoterapia e Hinpnose Clínica/Dinâmica pré natal e parto.

INSCRIÇÕES: (51) 32352124 / 98210643
Organização: Clã Filhas da Lua

12 de jul de 2012

Quer ver o Grande Espírito rir? Conte seus planos a Ele!


A vida é um mar de surpresas...
Estar entregue aos desígnios celestes é estar disposta a abrir mão de tudo que "aparentemente" é seguro... e de tudo que "seguramente" é confortável!
Agradeço à vida, à Deus pai/mãe, por me proporcionar tantas oportunidades de crescimento.
Quando nascemos recebemos data de fabricação mas não de validade... então... aproveite cada segundo ao lado de quem ama, contemple mais a vida, não se agarre á ilusões, ao passado ou ao futuro... ESTEJA PRESENTE com o melhor de si... aceitando suas imperfeições mas não se acomodando nelas.
Não desista de olhar o horizonte e sonhar, mas lembre de sempre honrar a terra que pisa e tudo que lhe mantém firme nela, o que está abaixo, o que está acima e tudo que lhe move a caminhar.

Amigas (os), estamos no mundo das possibilidades... ESTEJAM ATENTOS!
(Ana Paula Andrade)


Registros da Marcha do Parto em Casa em Porto Alegre/RS - 17/06/2012



Tudo cambia...

Olá queridas, ando distante do blog mas por motivos VITAIS e isso é muito bom né...
A vida nos leva por caminhos... e naturalmente nos afastam de outros não é mesmo?
Nestes 2 últimos anos minhas vivências têm sido tão intensas e os aprendizados tão profundos que fiquei sem conseguir escrever sobre qualquer coisa. Mas sinto que logo logo estarei aqui novamente compartilhando e recheando o blog!

Estou em fase de gestação carregando uma pérola em meu ventre e naturalmente me sinto como uma concha abrigando uma jóia (por isso ando em silêncio em minhas águas), aprendendo a me entregar àquela que tece e fia os fios da Vida. Sei que logo estarei me abrindo por completo para a passagem dessa grande luz e para isso venho me preparando para morrer. Enfrentando minhas sombras, meus temores, minhas inseguranças, me despedindo de cada faceta minha que ainda pensava ter controlhe de algo. Sentindo cada transformação do meu corpo como a lagarta em seu casulo, cada dia mais à um passo de seu vôo libertador.

Gestar é tão intenso, tão visceral, que é quase impossível colocar em palavras o que emerge de uma mulher nesta fase, mas uma coisa sei bem definir, é como estar sendo GESTADA! Me sinto sendo gestada juntamente á este Ser que carrego. Vou nascer junto á ele(a)!
Serei outra, não serei mais a mesma!

Um dia dentro de minhas práticas espirituais o Espírito me disse: 
O que você teme não é a maternidade... o que você teme é o amor mais profundo e sublime...
 Então ali, naquela hora, decidi me entregar ao amor, já com 3 meses de gestação.

Tudo cambia como diz uma amiga chilena. Tudo muda mesmo! Mas como diz suas abuelas: uma criança quando vem sempre traz o pão embaixo do braço. Não há motivos para se preocupar, é a abundância chegando em sua vida, hehehe.





Se algum artigo neste blog estiver como "autoria desconhecida" e você souber informar, agradecemos e faremos a devida correção. Solicitamos também que, ao ser extraída qualquer informação desta página, seja adicionada à devida autoria ou endereço:
http://clafilhasdalua.blogspot.com/