31 de jan de 2012

Viagem ao Equador 2012

Amigas (os), estamos organizando uma viagem ao Equador em junho de 2012.

2 a 10 de junho

Esta será uma peregrinação nos Andes equatorianos com visitas a lugares sagrados, museus da cultura antiga , vivências de conexão com a Mãe Terra e cerimônias indígenas .



Roteiro
Dia 2 de junho viagem de SP/Quito – acomodação no Hotel .


Dia 3 de junho – visita ao Vulcão de Pichincha com teleférico de paisagem única e vivência de abertura da viagem no alto das montanhas .

Passeio ao museu “ Mitad del Mundo “ onde se encontra a linha 0’0’0’’- sobre a linha equatorial . Hospedagem em Quito.



Dia 4 de junho- viagem a Otavalo , povoado indígena cheio de tradição e cultura . Conhecido mundialmente pelas feiras de artesanato tradicional . Visita ao povoado de Peguche com direito a “limpezas energéticas” tradicionais com fogo feitas por curandeiras equatoriana (opcional). Hospedagem em Otavalo.


Dia 5 de junho – viagem a Baños ,lugar de águas altamente curativas. Vivencia de caminhada na cachoeira sagrada. Relaxamento nas águas termais . Hospedagem em Baños .


Dia 6 de junho – viagem a Cuenca com parada para visita ao Ingapirca – maior complexo arqueológico Inca do Equador . Hospedagem em Cuenca.



Dia 7 de junho – visita ao parque Nacional de Cajas , formado por uma exuberante vegetação e um complexo de mais de 200 lagoas situadas a 3.200 metros sob o nível do mar . Almoço tradicional de peixes trutas da região .Hospedagem em Cuenca

Dia 8 de junho- viagem a fazenda de Shuragpampa lugar cerimonial onde encontraremos com o Curandeiro Alejandro Valdivieso . Cerimonia de purificação do temaskal ( sauna sagrada) com o uso da planta sagrada “Aguacóia” . A participação na cerimonia é opcional .Regresso e hospedagem em Cuenca. Aqueles que optarem também poderão ficar em Cuenca .
Dia 9 de junho – Dia livre em Cuenca com visita ao museu Pumapungo . Conclusão da Viagem .

Dia 10 de junho – regresso de avião a Quito e regresso ao Brasil .
Informações : (55) 31 35818824 / 87439754

Recomendações

Para ingressar no Equador não é necessário visto, somente passaporte (com validade de 6 meses da data da viagem) ou um documento original com foto (validade de 10 anos).
Levar roupa leve para o dia e roupa de frio para a noite .

As caminhadas são de nível fácil e recomendamos que levem um bom tênis ou bota .

Capa de chuva ou casaco impermeável .

Vivências e Cerimônias

As Vivencias serão conduzidas por Pedro Fadida, terapeuta e praticante das tradições indígenas que acompanhará o grupo durante todo o trajeto.


A cerimonia de temaskal é um antigo ritual indígena de purificação. Dentro da sauna se realizam cantos e orações. O uso da planta de Aguacóia ,também opcional, permite nos conectar com nossa essência clareando nossas visões e entendimentos sobre nós e o Universo.
Tudo será cuidado e efetivado com a presença de Alejandro Valdivieso, xamã que há muitos anos pratica estes rituais.



Valores
U$ 1290,00 + passagens aéreas + gastos individuais ( alimentação , compras e outros )

Parte Terrestre : U$1290,00 inclui hospedagem ( hotéis de classe turística com café da manhã) + transporte exclusivo para o grupo + guia altamente qualificado + vivências e cerimônias + entradas a parques e museus .

Pagamento em 5 x ( parcela inicial de U$290 + 4x de U$200) iniciando a pagar em janeiro de 2012 . Negociamos outras formas de pagamento .

A passagem SP-Quito não esta incluída e pode custar em torno de U$500 variando conforme a data de compra podendo ser parcelada no cartão de crédito. Recomendo no momento a empresa TACA.

A passagem aérea de retorno de Cuenca-Quito também não esta incluída e custa em trono de U$80 e pode ser comprada com nosso guia no Equador ou via agencia de turismo .

A Certa Viagens é nossa parceira em BH para a realização das compras de passagens - telefone 25154815 – Luciana. Para o grupo de Porto Alegre contamos com Klauber Oliveira para a cotação de passagens: klauber@portomondo.com

Recomendamos que levem por volta de U$ 200 dólares para gastos com alimentação e claro se possível levar alguns dinheiro para comprar artesanatos ( que são bem baratos por lá )

Total de gastos da viagem

Parte terrestre U$1290 + passagens aéreas U$580 + alimentação U$200 = U$2070,00
Telefone para contato: 31 35818824 / 88574931
pedrofadida@yahoo.com.br

Grupo de Porto Alegre/RS contato com Ana Paula: clafilhasdalua@gmail.com

28 de jan de 2012

Quando as circunstâncias são boas, devemos desfrutá-las; quando não são favoráveis devemos transformá-las e quando não podem ser transformadas, devemos transformar-nos a nós próprios."

(Viktor Frank)



Óleo de côco - novo (antigo) aliado!

Toda revista que fala de dieta ou saúde já publicou pelo menos uma notinha sobre o novo queridinho do mundo do emagrecimento: o óleo de côco extra virgem. Os benefícios são muitos, começando pela melhor notícia, que é ser um ativador do sistema metabólico (viva!). Depois, é um auxiliar na regulação hormonal, também ajuda na melhora do sistema imunológico e tireóide e produção de energia, além de ser um excelente produto de beleza, agindo como hidratante natural para pele e cabelos.

As recomendações de consumo variam de 1 a 4 colheres de sopa por dia, que podem ser acrescentados em receitas como ingredientes, ou usado para finalizar ou temperar pratos, como fazemos com o azeite de oliva. Também dá pra colocar em sucos e vitaminas, usar como substituto da margarina ou da manteiga, e por aí vai.

10 motivos para consumir o Óleo de Coco Extra Virgem

1 – Ação cosmética – O óleo de coco pode ser aplicado diretamente sobre a pele e mesmo nos cabelos, funcionando com um “condicionador” natural. Para isso, é só massagear os cabelos com 1 colher das de sobremesa antes do banho. Além de hidratar a pele e não conter radicais livres, previne rugas numa verdadeira ação antienvelhecimento. Isto se deve a “lubrificação” da pele, permitindo que os nutrientes do sangue cheguem até ela. O ácido láurico inibe o crescimento de bactérias da pele, inclusive a acne, podendo ser usado para massagens e tratamentos cutâneos.

2 – Ação antioxidante – Colabora na diminuição da produção de “radicais livres”. Isto se deve principalmente a ação direta da vitamina-E presente, diminuindo a sua necessidade no organismo.

3 – Colesterol – Ajuda na redução do mau Coleterol – LDL, pois evita a sua oxidação. Promove a elevação do bom Colesterol – HDL, contribuindo assim na prevenção e tratamento das doenças cerebrais e cardiovasculares.

4 – Colabora no processo do Emagrecimento – De fácil absorção, o óleo de coco é a melhor fonte de Triglicerídeos de cadeia média, não necessita de enzimas para sua digestão e metabolismo. No fígado, estes triglicerídeos rapidamente se transformam em energia, desta maneira não se depositam no organismo. Por isso ela é considerada “termogênica”, ou seja, capaz de gerar calor e queimar calorias. Esta propriedade, aliada a capacidade que o óleo de coco tem de estimular a glândula tireóide, aumenta o metabolismo basal e, conseqüentemente: Emagrece.

5 – Melhora o sistema imunológico agindo na prevenção e no combate aos vermes, bactérias e fungos. Restabelece a energia “roubada” por estes agentes, pois apresenta a maior concentração de ácido láurico dentre todas as gorduras vegetais. No organismo, este ácido é convertido em monolaurina que tem ações para evitar inúmeras infecções, pois melhora a absorção dos nutrientes aumentando todas as defesas do organismo.

6 – Regula a função intestinal – Tanto nos casos de prisão de ventre ou mesmo nas diarréias, os componentes do óleo de coco agem normalizando as funções intestinais. Ao mesmo tempo, o ácido láurico, através da monolaurina, ajuda a eliminar as bactérias patogênicas (inimigas), protegendo e favorecendo o crescimento da “flora amiga”.

7 – Tireóide – Melhora o funcionamento da Tireóide, tendo ainda ação “antienvelhecimento”. O bom funcionamento da Tireóide faz com que especificamente o mal Coleserol – LDL seja mobilizado, através de processo enzimático, produzindo os hormônios antienvelhecimento: Pregnenolona, Progesterona e DHEA (dehidro- epiandrosterona). Todas estas substâncias são necessárias na prevenção de doenças cardiovasculares, senilidade, obesidade, câncer, dentre outras doenças crônicas relacionadas à idade.

8 – Ação dermatológica – Além do poder bactericida na pele, pode ser utilizada como cicatrizante de feridas, picadas de insetos, alívio em queimaduras e, sobretudo nos eczemas e dermatites de contato, bem como no tratamento do herpes e candidíase.

9 – Diabéticos – Controla a compulsão por Carboidratos, assim como os alimentos ricos em fibras ajudam a manter níveis estáveis de insulina no sangue, conseqüentemente facilitando a vida dos DIABÉTICOS. O óleo de coco proporciona uma sensação de saciedade ainda maior e, acima de tudo não estimula a liberação de insulina, porque é facilmente absorvida, contribuindo desta forma para diminuir o “craving” compulsão por carboidratos, principalmente a doces.

10 – Fadiga Crônica e Fibromialgia – Acredita-se que não é um único tipo de vírus ou bactéria os responsáveis pela Síndrome da Fadiga Crônica e, mesmo da Fibromialgia, mas sim a combinação de vários agentes e fatores. Nestas condições o óleo de coco age neutralizando uma gama enorme destes agentes infecciosos. Melhora o sistema imunológico, acelera o metabolismo, recupera a energia plena eliminando o estado de Estresse e transmitindo jovialidade.

Fonte: Portal Fator Brasil, M de Mulher

22 de jan de 2012

Seio empedrado… Obstrução, ingurgitação ou mastite?

Quem já amamentou ou amamenta pode ter se encontrado facilmente com um destes três problemas, ou até com mais de um deles. É algo que pode acontecer, que gera não poucos incômodos (em maior ou menor medida dependendo do grau e do que se trate) e que pode virar algo grave se não tomamos as medidas oportunas.

É por isso que eu gostaria de fazer um breve repasso das diferencias entre estes problemas da amamentação e as causas, características e tratamentos de cada um deles, para cada mãe ter a capacidade de diferenciá-los e possa agir em conseqüência.

Espero que sirva para esclarecer estes conceitos. Em caso de qualquer dúvida ao respeito, podem ligar ou escrever para mim ou para qualquer outra/o consultor(a) de amamentação no qual vocês confiem.

OBSTRUÇÃO MAMÁRIA

Trata-se da obstrução de algum conduto mamário. Apresenta-se como um bulto duro e dolorido em alguma área localizada da mama. Não é o seio inteiro duro e dolorido. O mais habitual é que isso aconteça na área mais perto da axila, por ser a área onde o bebê esvazia pior o seio (sempre se esvazia mais a parte da mama onde fica a mandíbula inferior dele).

Posição "invertida"
Pode aparecer algo de febre, não superior de 38,5ºC. No caso da febre ser maior e o bulto estar quente e vermelho já estaríamos falando de mastite, e não de obstrução.

As causas da obstrução podem ser muitas, desde uma falta de drenagem do seio em áreas onde o bebê não esvazia bem o peito, até uma mudança nos hábitos das mamadas, como começar mamar menos vezes depois de uma época de muitas mamadas (às vezes acontece quando eles começam com a alimentação complementar, suprimindo mamadas em lugar de complementando-as).

O tratamento seria: calor úmido na mama antes de cada massagem para drená-la, e depois pôr o bebê para mamar, preferivelmente colocando-o de tal forma que a mandíbula inferior dele fique na área afetada. Se esta é a parte de mama próxima à axila, colocaríamos o bebê na posição invertida (em lugar de ventre com ventre, seria ventre –dele- com costelas –nossas-, sentadas em um sofá e com o bebê apoiado em um travesseiro do lado do corpo onde esteja a mama afetada). A forma de massagear a mama seria com movimentos circulares pequenos, sempre desde a área externa da mama em direção ao mamilo. Podemos fazê-lo com os dedos ou com uma escova de dente limpa ou uma escova de cabelo de bebês.

Geralmente, após um dia ou dois com o bebê mamando na posição adequada à obstrução, e seguindo estas recomendações, esta acaba desaparecendo.

INGURGITAÇÃO

Trata-se de uma inflamação geral do peito (não de áreas localizadas), muito freqüente nos primeiros dias-semanas após o parto. Na primeira descida do leite (dos primeiros dias), como o nosso corpo não sabe quanto leite deve produzir para nutrir ao bebê recém nascido, a nossa natureza (que é sábia) produz mais leite do necessário para garantir uma nutrição mínima e depois já se adaptar à demanda exata do bebê, segundo o quanto ele mame (se mama muito produzira muito, se mama menos, produzirá menos, e assim sempre em consonância com as necessidades do bebê em cada momento).

Em essa primeira descida do leite, ao produzir muito, o leite fica retido nos condutos, o que leva a uma inflamação dos tecidos da mama e o peito fica inchado, duro e quente. Isso é uma ingurgitação.

Não acontece apenas nos primeiros dias, mas é quando é mais comum, Porém, pode acontecer em qualquer momento da nossa vida de nutrizes, independentemente do tempo que levemos lactando aos nossos filhos (dias, meses e inclusive anos).

O melhor tratamento é pôr o bebê para mamar. Se a mama fica muito dura e esta difícil para o bebê pegar o peito (como uma bexiga muito inchada, dura, que escorrega na boquinha do bebê), é recomendável aplicar calor úmido antes da mamada (uma toalha ou pano molhados em água quente serve, e senão um banho quente) para dilatar os condutos e assim facilitar a saída do leite, massagear o seio com movimentos circulares e sempre em direção ao mamilo (dividindo o seio em porções como de pizza, iríamos massageando as diferentes porções) e fazer uma leve ordenha até o seio ficar algo mais molinho para o bebê poder pegar em ele, pois às vezes estão tão grande e duro que a sua boca escorrega por ele impedindo fazer uma pega correta.

Depois, entre mamada e mamada, ajuda colocar algo frio para diminuir a inflamação. Serve uma sacolinha de legumes congelados (dentro de um pano, nunca em contato direto com a nossa pele), ou até uma folha de couve bem limpa e fria da geladeira. Corta um círculo para o mamilo "sair" por ele, e coloca a folha de couve fria dentro do sutiã. Têm pessoas que descrevem um grande alívio.

MASTITE

Basicamente é uma complicação de algum dos problemas descritos anteriormente, principalmente da obstrução. O principal indicativo é a aparição de febre, e geralmente esta febre é alta e pode aparecer junto com tremedeiras e alta sensação de debilidade. Vêm também junto com dor corporal muito similar à de uma gripe, até o ponto de resultar comum a gente confundir uma mastite com uma gripe por estes sintomas (febre, mal estar e dor geral no corpo), mas teríamos o sintoma adicional de dor ou alta sensibilidade na(s) mama(s), e ausência de tosse.

A mastite se produz quando há uma retenção do leite no seio: se pulamos uma das mamadas, quando a produção é maior da que o bebê consegue dar conta (por ter mamado mais nos dias prévios estimulando um aumento de produção, por exemplo, que depois já não necessitava mais), quando estamos usando um sutiã pequeno e apertado que comprime uma parte da mama ou se o nosso bebê suga (estimula o peito), mas não consegue mamar adequadamente, e por tanto ele não esvazia adequadamente os condutos.

Não é sempre necessário tratar a mastite com antibióticos. Se é detectada precocemente é comum a gente conseguir controlá-la antes de que chegue a derivar em uma infecção.

Massagem da mama
O tratamento consistiria em DESCANSO (fundamental) e drenagem da mama afetada. Para isso o melhor é o bebê sugando, mas se ele não quer mamar ou não é possível em esse momento, teremos que tirar o leite manualmente ou com bombinha, procurando manter a mama “mole”. Se for só em um seio o problema, é fundamental não nos esquecermos do outro, pois às vezes ficamos tentando que o bebê mame do que esta duro e dolorido para sará-lo, e com isso provocamos que o outro acabe igual. Então não deixemos que nenhum seio fique duro e inflamado. Se o bebê não da conta dos dois, façamos ordenha no outro, apenas o suficiente para aliviar o inchaço, mas nem tanto como para estimular mais ainda a produção.

Da mesma forma descrita na ingurgitação, podemos nos beneficiar do frio e do quente aplicados tal e como foi descrito anteriormente: calor úmido antes das mamadas ou da ordenha, e frio entre mamadas para diminuir a inflamação.

Também poderíamos tomar um analgésico ou antiinflamatório compatível com a amamentação (paracetamol ou ibuprofeno, por exemplo), o que alivia a dor, melhora a febre e desinflama a mama liberando os condutos. Mas lembremos que isso não sara, simplesmente alivia os sintomas. O que sara é descanso e drenagem do seio, e antibiótico (sempre receitado pelo médico) no caso de chegar a ter infecção.

Não só você pode continuar amamentando, senão que DEBE fazê-lo. Mesmo tendo febre muito alta, NUNCA deve se optar por um desmame durante uma mastite. Não há perigo do bebê “se infeccionar” a través do leite. Porém, às vezes acontece que o bebê rejeite esse leite por ficar algo salgado devido ao aumento de sódio no leite. Isso não é mau para o bebê, mas às vezes simplesmente eles não gostam, então teremos que fazer ordenha manual e oferecer o outro peito à criança.

Quando ir ao médico?

Se com estas dicas não temos melhorado em um prazo de 24-48 horas, é preciso ir ao médico para ele valorar a possibilidade de receitar um antibiótico compatível com a amamentação, e nem assim deve deixar de amamentar, é claro. Em este caso, é muito importante tomar o antibiótico tantos dias como o médico indicou, pois uma mastite mal sarada pode provocar que a infecção se reproduza e/ou aumente, acabando em um abscesso, o que seria muito sério e requereria uma intervenção cirúrgica para drenar o pus da mama. Mesmo assim, você pode e deve continuar amamentando, mas impedindo que o bebê entre em contato com esse pus, é claro: se o abscesso esta longe do mamilo, pode amamentar normalmente. Se esta perto dele, melhor amamentar só com o outro seio até sarar, mas ordenhe a outra mama para não acumular leite de novo.

Se você estava pensando em desmamar o filho, não há pior momento do que este para fazê-lo. É preferível primeiro sarar e, depois, já iniciar o desmame. Se não esvaziamos o seio com freqüência durante uma mastite, poderia acabar aparecendo um abscesso mamário. A retenção de leite no seio faz com que a febre aumente, pelo que é importante manter o peito “mole”. Se o bebê não chega esvaziá-lo, teríamos que acabar de fazê-lo mediante ordenha manual ou com bombinha. O leite nunca vai acabar, pelo que o objetivo não é “acabar” com ele, senão tirar tanto leite quanto seja necessário para que o peito não esteja duro, sem provocar um aumento de produção.

Se as mastites são repetitivas, seria importante fazer uma revisão médica para ter certeza de que não há algum outro problema, como uma infecção anterior mal tratada, uma descida de defesas ou problemas na sucção do bebê.

Elena de Regoyos
-Doula de puerpério e assessora parental 
-Consultora de slings e amamentação
www.mamaedoula.blogspot.com
Tlf (Br) +55 19-9391 4134 / Tlf (Esp) +34 696 08 25 21

18 de jan de 2012

Os fios da nossa vida


Toda vez que amamos uma pessoa lançamos, por assim dizer, um fio de nossa energia sobre ela, o que cria uma conexão viva entre os dois campos vibratórios, mesmo à distância. Dessa forma, sentimos quando ela não está bem ou quando pensa em nós intensamente.

Projetamos esse fio de conexão também sobre os amigos, as pessoas que gostamos, os projetos que temos; toda vez que nos identificamos com alguém e alguma coisa, lançamos nela uma parte de nossa energia, criando o vínculo.

Da mesma forma, quando odiamos alguém ou temos medo de algo, também nos ligamos energeticamente, mesmo sem querer. Quantas vezes ouvimos falar de pessoas que durante anos e anos ficaram presas entre si pelo ódio, sempre realimentado, sem conseguir seguir adiante na sua vida…

As situações mal resolvidas no passado formam muitas vezes uma rede de fios que carregamos nas costas (à imagem dos cães que arrastam na neve os trenós nos países gelados ) – continuamos arrastando as lembranças e culpas pela vida afora – e empenhando tanta energia nisso que pouco sobra para estarmos disponíveis para o presente. Ficamos, literalmente, amarrados ao passado.

Vivemos, assim, em meio a uma rede de fios que nos liga às pessoas, situações, ideais, medos, lembranças e esperanças.

Esse vínculo pode ser muito prazeroso em certas situações, como quando amamos; mas quando o contato termina, muitas vezes sentimos que uma parte de nós ficou com o outro. Embora estejamos nos referindo aos sonhos e expectativas, isso ocorre realmente em termos energéticos.

É necessário puxar o fio de volta, resgatar a energia que ficou projetada sobre o outro, e Integrá-la novamente em si mesmo. Voltar a estar inteiro.

O perdão é uma forma de fazer isso. Ao perdoar o outro, abrimos mão de toda expectativa lançada sobre ele e com isso trazemos de volta toda a nossa energia que com ele estava – seja sob a forma de amor, mágoa, raiva ou desejo de vingança. Ao liberar o outro, nos libertamos também.

Da mesma forma, ao resolvermos internamente alguma situação do passado – aceitando as coisas da forma como aconteceram, mesmo que não tenha sido da maneira como esperávamos – recebemos de volta a energia lá investida e que até aí estava paralisada.

Ao fazer isso, fecha-se a brecha, e nos tornamos mais completos novamente. O que o outro faz não nos afeta mais. O que aconteceu é passado. Nos tornamos mais atentos ao presente. E, principalmente, mais disponíveis para a vida.

Sonia Weil


Fonte: Universo Natural

8 de jan de 2012

SIGA SEU CORAÇÃO, ELE É MAIS INTELIGENTE DO QUE VOCÊ PENSA

O coração é também o primeiro órgão formado no útero. O resto vem depois.

Recentemente, neurofisiologistas ficaram surpresos ao descobrirem que o coração é mais um órgão de inteligência, do que (meramente) a estação principal de bombeamento do corpo. Mais da metade do Coração é na verdade composto de neurônios da mesma natureza daqueles que compõem o sistema cerebral. Joseph Chilton Pearce-, autor de A biologia da Transcendência, chama a isto de ”o maior aparato biológico e a sede da nossa maior inteligência.”

O coração também é a fonte do corpo de maior força no campo eletromagnético. Cada célula do coração é única e na qual não apenas pulsa em sintonia com todas as outras células do coração, mas também produz um sinal eletromagnético que se irradia para além da célula. Um EEG que mede as ondas cerebrais mostra que os sinais eletromagnéticos do coração são muito mais fortes do que as ondas cerebrais, de que uma leitura do espectro de freqüência do coração podem ser tomadas a partir de três metros de distância do corpo … sem colocar eletrodos sobre ele!

A freqüência eletromagnética do Coração produz arcos para fora do coração e volta na forma de um campo saliente e arredondado, como anéis de energia. O eixo desse anel do coração se estende desde o assoalho pélvico para o topo do crânio, e todo o campo é holográfico, o que significa que as informações sobre ele podem ser lidas a partir de cada ponto deste campo.

O anel eletromagnético do Coração não é a única fonte que emite este tipo de vibração. Cada átomo emite energia nesta mesma frequencia. A Terra está também no centro de um anel, assim é o sistema solar e até mesmo nossa galáxia … e todos são holográficas. Os cientistas acreditam que há uma boa possibilidade de que haja apenas um anél universal abrangendo um número infinito e interagindo dentro do mesmo espectro. Como os campos eletromagnéticos são anéis holográficos, é mais do que provável que a soma total do nosso Universo esteja presente dentro do espectro de freqüência de um único anél.

Isto significa que cada um de nós está ligado a todo o Universo e como tal, podemos acessar todas as informações dentro dele a qualquer momento. Quando ficamos quietos para acessar o que temos em nossos corações, nós estamos literalmente conectados à fonte ilimitada de Sabedoria do Universo, de uma forma que percebemos como “milagres” entrando em nossas vidas.

Quando desconectamos e nos desligamos da sabedoria inata de amor do Coração, baseado nos pensamentos, o intelecto refletido no ego assume o controle e opera independentemente do Coração, e nós voltamos para uma mentalidade de sobrevivência baseada no medo, ganância, poder e controle. Desta forma, passamos a acreditar que estamos separados, a nossa percepção de vida muda para uma limitação e escassez, e temos que lutar para sobreviver. Este órgão incrível, que muitas vezes ignoramos, negligenciamos e construimos muros ao redor, é onde podemos encontrar a nossa força, nossa fé, nossa coragem e nossa compaixão, permitindo que a nossa maior inteligência emocional guie nossas vidas.

Devemos agora mudar as engrenagens para fora do estado baseado no medo mental que temos sido ensinados a acreditar, e nos movermos para viver centrados no coração. Para que esta transformação ocorra, é preciso aprender a meditar, “entrar em seu coração” e acessar a sabedoria interior do Universo. É a única maneira, é O Caminho. A medida que cada um de nós começa esta revolução tranquila de viver do Coração, vamos começar a ver os reflexos em nossas vidas e em nosso mundo. Esta é a forma como cada um de nós vai criar uma mudança no mundo, criar paz, criar harmonia e equilíbrio, e desta forma, vamos todos criar o Paradigma do Novo Mundo do Céu na Terra.

Rebecca Cherry

Fonte: Shakyamuni
Se algum artigo neste blog estiver como "autoria desconhecida" e você souber informar, agradecemos e faremos a devida correção. Solicitamos também que, ao ser extraída qualquer informação desta página, seja adicionada à devida autoria ou endereço:
http://clafilhasdalua.blogspot.com/