24 de fev de 2010

O mito da fertilidade

Na reprodução, estamos mais próximos dos pandas que dos coelhos


As chances de uma mulher jovem engravidar naturalmente, sem nenhum problema de fertilidade com ela e com o parceiro e transando no período fértil, é de apenas 25% a cada mês. Dito de outra maneira: se está tudo certo, certíssimo, e você acertou a data da ovulação, tem 75% de possibilidade de NÃO engravidar.


Eliane Brun, repórter especial da Revista ÉPOCA, entrevista uma mulher que fez Inseminação Artificial por não conseguir engravidar. Achei interessantíssima as perguntas que ela fez e as respostas ainda mais...
Leia Aqui...

Por que você quer ser mãe?
Em que medida ser mãe é desejo seu e em que medida é pressão familiar e social?
Quando você começou a sentir que queria ser mãe? E como este sentimento influenciou sua vida?
Isso determinou a escolha dos homens com quem namorou, casou?
Quando você decidiu que era hora de engravidar, o que fez? Essa ideia de engravidar não atrapalha na hora de transar? Dá para gozar querendo tanto que um filho seja concebido?
Vocês conversavam sobre isso?
Em que momento começou a dar medo de não conseguir? E o que este medo fez com você? E com a sua vida?
Você se sentia um ET por não engravidar?
Em que momento você decidiu que era hora de tentar inseminação artificial?
Como foi isso tudo para o seu marido?
O que você diria hoje para mulheres que querem engravidar e não conseguem?

Estas são algumas das perguntas. Eliane Brun escreve às segundas-feiras.

23 de fev de 2010

Círculos Femininos Tenda da Terra

Amadas, este é um trabalho de 15 anos, tecido inicialmente por Lúcia D. Torres, a mentora deste sonho, que hoje conta com a participação de outras mulheres egressas das Tendas, devidamente credenciadas, também como facilitadoras deste processo iniciático, ritualístico e vivencial.
Temos muito respeito e admiração por este movimento que conduz tantas mulheres "em busca delas mesmas" que indicamos e convidamos nossas leitoras, amigas, irmãs a se aventurarem nesta Jornada.
A jornada da Tenda da Terra, ocorre através de nove encontros mensais ao longo do ano, onde refletimos sobre os nossos diferentes papéis femininos, repensamos nossa maneira de ser e estar no mundo, tecemos vínculos de parceria e intimidade num ambiente seguro e acolhedor. Somos convidadas a fazer outras escolhas e contribuir na construção de uma nova organização social.


Atividades em 2010=============

As atividades formais da Tenda da Terra iniciam no dia 24 de março de 2010, quarta, com uma palestra de sensibilização aberta a todas as mulheres interessadas. Os encontros posteriores ocorrem mensalmente, de acordo com o calendário de cada facilitadora, é só solicitar a programação na UNIPAZ SUL comunicacao@unipazsul.org.br
Está previsto realização de atividades formais da Tenda da Terra em Porto Alegre, Cachoeirinha, Campo Bom e Ivoti, no Rio Grande do Sul, e em Florianópolis, Blumenau e Gravatal, em Santa Catarina. Para mais detalhes sobre o trabalho, faça contato com a recepção do TAWA – Educação e Saúde, pelo fone: 51 3231-0995.

PALESTRA DE SENSIBILIZAÇÃO - 24/03/2010
19h30min -PORTO ALEGRE – RS
Local: TAWA - Saúde e Educação - Rua Miguel Couto, 237 - Menino Deus
Fone: 51 3231- 0995


O bronze se limpa com ácido,
o rio se limpa por força do seu próprio fluxo,
e uma mulher é purificada com a menstruação.
(Chanakya)


Dia 03 de maio de 2010 celebre a

((( SEGUNDA VERMELHA)))

A mulher expressa a natureza, a natureza expressa a mulher!

Beijo a todas e boa semana

Ana Andrade


20 de fev de 2010

Relato de Cura no Círculo Feminino

Quero deixar aqui o meu relato.

No último Encontro da Lua Nova (janeiro/2010) falamos sobre muitas coisas, mas uma me chamou a atenção, o uso de anticoncepcional. Havia algum tempo que essa idéia já não me agradava mais, mas como fiz uma cirurgia - OOFORECTOMIA, retirada do ovário esquerdo - em decorrência de um endometrioma de 7 cm de diâmetro (isso mesmo, centímetros!), em julho de 2009 e a ginecologista me aconselhou à interromper o ciclo com o uso ininterrupto da pílula, por um período de 1 ano, achei melhor não arriscar e continuei o dito "tratamento". Para minha "surpresa" na vivência "Espelho da Lua" com o Clã, na manhã de sábado (23/janeiro), senti meu coração dizendo que estava na hora, que eu estava pronta pra interromper o "tratamento". Neste mesmo dia dei ouvidos ao que meu coração disse, não fiz mais o uso da pílula. Estava ciente que poderia ter consequências desagradáveis pois meu ciclo sempre foi um pouco 'complicado' e no último ano havia se tornado muito doloroso a ponto de perder a consciência em decorrência da dor, mas segui ouvindo o apelo do meu coração. Quarta feira (27/janeiro) começei a sangrar e nesse dia o medo e a apreensão tomaram conta de mim, começaram à surgir os medos, mas para minha grande e agradável surpresa TUDO OCORREU MUITO BEM, tive pouquíssima cólica !!! E as surpresas AGRADÁVEIS continuaram, pois sofria (passado!!) com o inchaço dos pés e pernas, principalmente em dias quentes, mas isso TAMBÉM ACABOU !! Mesmo com esses calorões de quase 40º C meus pés e pernas NÃO INCHARAM NADA (NADA MESMO!!!).

Fica a lição: Temos que aprender a acreditar no que o nosso coração nos 'revela'!

Beijokas no coração de vocês e obrigada por me auxiliarem nesta caminhada.

Namastê!

Gi
"Uma longa viagem começa com um único passo " (Lao-Tsé)
Jaque e Gi

Que bênção hein, me emocionei com o relato da Gi, que é maninha da Jaque. A Jaque é psicopedagoga e já acompanha o Clã a alguns anos, no final de 2009 teve o prazer de estar sentada no Círculo de Visões da Lua Nova ao lado da sua irmã, lembro da alegria na partilha dela.
Aí estão as duas, lindas, na Vivência Espelho da Lua que realizamos em janeiro de 2010 - Grandes revelações, hein meninas!!!
Amamos vocês!
Valeu pela partilha Gi.
Beijão

15 de fev de 2010

Árvore bailarina

Hoje, vasculhando um pouco a net, encontrei esta linda imagem no blog da Chiara e olhem o que ela escreveu... lindo lindo, fiquei encantada com a criatividade dela e com a beleza desta árvore!
Gratidão Chiara


"As mulheres são como as árvores: elas fincam raízes no solo dos corações, têm paciência e capricho com o próprio crescimento e, ao abraçá-las, os espíritos recebem renovadas energias.
Elas amam e cuidam de seus frutos, mesmo sabendo que um dia o mundo os levará para longe. Outras, aquelas que não dão frutos, oferecem sua sombra àqueles que necessitam de descanso.
Quando açoitadas por fortes ventos da vida, elas emanam o perfume da força, trazendo calma por mais assustadora que seja a noite.
Seus corações voam alto o suficiente para escutarem mais de perto os recados do céu. Elas oxigenam as ruas das cidades, as avenidas, os acostamentos de estradas e as beiras de rios e até as matas.
Elas entendem o canto dos passarinhos e, mais do que ninguém, valorizam e protegem seus ninhos. Suportam melhor a solidão e as dificuldades da vida...
Elas nascem em maior número para que o verde da esperança jamais empalideça.
Todas mulheres são árvores... e que lindas florestas fazemos". (Chiara)

Vênus de Laussel - Cornucópia da abundância

"É uma estatueta talhada num bloco de pedra calcária dura; representa uma mulher despida, que na mão direita sustem um corno de bisão. A figura mede 46 cm de altura. A cabeça, embora em grande parte separada do fundo, não apresenta indícios de rosto. Apesar disso, observa-se que foi talhada de perfil ..... O pescoço é alongado e está claramente definido. Do peito brotam elegantemente dois seios longos e pendentes, de jeito oval. O ventre é algo pronunciado, mas bem proporcionado e ligeiramente caído ... O braço direito cai com naturalidade junto ao tronco, mas o antebraço alça-se até à altura do ombro, onde a mão sustem um corno de bisão. Tudo o corpo está polido, exceto a cabeça ...."

Segundo Leroi-Gourhan estaríamos ante dois símbolos complementares femininos, o bisão e as mulheres, o homem. Outras interpretações mais tradicionais, por outro lado, relacionam à «Mulher com Corno» de Laussel com uma deusa da fertilidade, na qual o corno representaria a cornucópia da abundância.

Um dos símbolos mais antigos de fertilidade e abundância, a cornucópia associa os cornos da lua com a Grande Deusa, como demonstra uma figura esculpida na entrada de uma caverna-santuário no sul da França, conhecida como a Deusa de Laussel. Tendo 34 cm de altura e datando de aproximadamente 20.000 antes da nossa contagem do tempo, ela segura em uma mão um corno de bisão em forma de lua crescente, enquanto a outra aponta para seu ventre. As treze incisões feitas no corno referem-se à passagem dos meses lunares.

Com o advento da agricultura e da criação de animais, os cornos da lua passaram a ser representados pelos cornos da vaca ou da cabra, símbolos associados à deusa da terra, da fertilidade e da fortuna, de cujo útero os frutos fluem em abundância.

Já tingida pela ênfase patriarcal, a mitologia grega nos relata como Zeus foi levado ainda criança para uma caverna, onde foi criado pela cabra Amalthéia. Tendo acidentalmente quebrado um de seus cornos, ele lhe prometeu que o corno oco sempre estaria pleno de qualquer fruto que ela desejasse. Assim, a fertilidade intrínseca da grande deusa se tornou uma dádiva do futuro senhor do Olimpo, chegando a nós como símbolo da deusa romana Cópia, a personificação da plenitude.

Fonte:
Blog da Fátima Gaya - Lumiar

Segunda Vermelha - organize-se conosco!

Olá queridas, estarei postando algo sobre o Ciclo Feminino toda segunda-feira, até o dia 3 de maio, data estipulada para celebrarmos a “Segunda Vermelha” de 2010. A segunda-feira que antecede o dia das mães, é chamada de Segunda Vermelha pelo Movimento de Mulheres que Celebram o Fluxo Feminino... neste dia vestimos vermelho, nos nutrimos de alimentos vermelhos, pintamos as unhas de vermelho, enfeitamos a casa com flores vermelhas, rsrsrs... e convidamos as amigas para juntas reverenciarmos nosso sangue, do qual brota vida. Mulheres em todo o mundo, independente de participarem ou não de Círculos Femininos, celebram esta data.

"QUALQUER MULHER pode organizar uma (((SEGUNDA VERMELHA)))
na sua sala, no seu quarto,na sala de aula ou no seu apartamento,
na casa das amigas,em um parque ou qualquer outra área aberta,
na sua faculdade, no centro da cidade, em bares ou restaurantes, qualquer lugar"!


Divulguem esta idéia, enviem sugestões, se organizem conosco... vamos celebrar o Sangrar, o Gerar, o Parir!!!

By Ana Andrade

Uma mulher deve entender o processo exato e a causa da menstruação para se compreender melhor e controlar a própria vida.

A maturidade sexual da mulher, geralmente atingida entre 12 e 14 anos, é marcada pela liberação de sangue por um período de três a cinco dias a cada mês. Os ovários estão localizados na parte inferior do abdome e medem aproximadamente de 2,5 a 5cm de comprimento, cerca de 1,5 a 3cm de largura e 0,6 a 1,5cm de espessura, e é neles que se formam os óvulos. Para que os óvulos cheguem ao útero, os ovidutos, ou trompas de Falópio, constituem um ambiente apropriado à sua fertilização.
O útero é um órgão em forma de pêra com uma cavidade interior e uma grossa parede muscular. Na condição de não-gravidez, ele mede cerca de 5cm de comprimento, 2,5cm de largura e 2cm de espessura. Em uma mulher sexualmente madura, a cada mês um óvulo é liberado de um dos seus ovários e desce para o útero em uma das trompas de Falópio. A cavidade do útero fornece abrigo para o ovo fertilizado, que se transplanta para a sua parede e começa a se desenvolver em um embrião.


O revestimento interior da parede do útero (que forma a face da cavidade uterina) é chamado de endométrio, que se prepara a cada mês para um ovo fertilizado. Suas células se multiplicam e criam uma camada protetora que, na ausência da fertilização, é descartada no final de um ciclo de quatro semanas. Essas mudanças cíclicas no endométrio são controladas pelos hormônios estrogênio e progesterona, que são liberados em partes diferentes do corpo. As mudanças podem ser divididas em duas fases. Após a menstruação, entre o 5º e 14º dia, tem início uma fase proliferativa sob a influência do estrogênio, levando o endométrio a crescer cerca de 1 a 5mm. Entre o 15º e 28º dia, surge a fase secretora, assim chamada em virtude da formação e da secreção do glicogênio, o armazém celular de açúcar. Essa fase é precedida pela síntese do estrogênio e da progesterona, durante a qual o endométrio cresce para 3 a 8mm. Todo o processo faz parte da preparação necessária ao transplante do ovo fertilizado.
Mais próximo do final da fase secretora, um acúmulo de líquido celular extra e uma quantidade maior de muco fazem com que as células do endométrio tornem-se progressivamente mais frouxas. As células hiper-hidratadas retêm muita água durante o último estágio, enquanto uma constrição das artérias reduz o fluxo sanguíneo, conduzindo à degeneração de parte da parede do útero. As artérias contraídas se rompem, ocorre uma hemorragia e parte da camada do endométrio é expulsa. Da camada basal remanescente ocorre novamente a regeneração durante o próximo ciclo.
Essa é uma descrição resumida do processo e da causa da menstruação. É importante compreender que as mudanças que ocorrem no endométrio não são a única consequência da produção hormonal. A liberação dessas substâncias afeta os processos corporais como um todo.

Fonte: Kama Sutra para mulheres – Dra. Vinod Vema - Ed. Nova Era

9 de fev de 2010

Círculo de Visões - Fevereiro - Carnaval

Olá mulheres que nos acompanham nos Encontros da Lua Nova
Neste mês de fevereiro, excepcionalmente em função do Carnaval, todas as guardiãs do Círculo Sagrado de Visões femininas estarão se recolhendo em meditação. A partir de março daremos continuidade aos encontros físicos do Círculo.
Convidamos a todas a se recolherem em suas casas, unindo-se a nós num círculo de meditação as 20h do primeiro dia de lua nova de fevereiro, dia 14, refletindo sobre nossos processos de regeneração e renascimentos contidos em nossos corpos e mentes, ancorados pelos nossos ciclos menstruais.
Ao poder da vida-morte e vida!
Abraço,
Ana Paula Andrade

8 de fev de 2010

O Sangue da Lua



A menstruação da mulher, o chamado sangue da lua, pelos ocultistas, seu ciclo hormonal, é fator primordial para abertura de portais da consciência e do saber. As sociedades arcaicas matrifocais sabiam disso e reverenciavam o poder da anima feminina de gerar vida tal qual nossa Mãe Terra - Gaia.

Estatuetas esculpidas em pedra datadas com mais de vinte mil anos, mostrando figuras femininas em estado de gestação, foram encontradas em sítios arqueológicos de diversas regiões da Europa, Ásia e África; posteriormente a famosa Cartago que possuía uma sociedade bastante especializada venerava a deusa Tanit. Até o judaísmo antigo teve nos seus primórdios uma deusa mãe, forte, poderosa e criadora; depois cultuando Jeová e o poder masculino os sacerdotes judeus colocaram as mulheres em segundo plano chegando a considerá-las impuras durante seus ciclos menstruais.

Após séculos de repressão psíquica, as mulheres hoje podem optar pela sua feminilidade sem abandonarem o poder e é isso que vem assustando alguns doutores que sob alegações de que o ciclo menstrual traz dissabores tais como cólicas e alterações de humor induzem, principalmente jovens, a tomarem medicamentos e renunciarem a sua força – o sangue menstrual e a ovulação. Mas estas modulações hormonais que acompanham a mulher já na sua infância passando à puberdade, maturidade e velhice é que dão a ela características especiais, não só de complementar o homem em sua jornada e empreendimentos, como de ter uma percepção das nuances da vida, muito além do campo denso e material, pois a mulher possue uma comunhão estreita com a Terra, a Natureza, seus elementais: gnomos, devas, duendes, silfos, plantas , animais , sopros e ventos; esta é sua força criativa, então porque suprimi-la? Todos temos os mesmos direitos perante a sociedade, mas homens e mulheres não são iguais. Somos pequenos pontos de luz a brilhar nas vastidões do universo, cumprindo cada qual a tarefa a que foi designado pela grande mente criativa, a quem chamamos Deus/Deusa...... é disso que não podemos nos esquecer nunca!

Fonte: Instituto de Pesquisas Psíquicas Imagick
Adaptação - Ana Paula Andrade

5 de fev de 2010

A idade da Loba

Clique na imagem para ampliar
Analisando a foto a gente consegue entender mesmo que a vida começa aos 40 anos.
Agora uma rápida reflexão.Olhando para trás, percebemos que vivemos várias vidas até atingirmos essa idade.Caminhando por vias tortuosas, caindo e se reerguendo, é sempre um começar de novo. Seguimos trajetórias que acreditamos serem definitivas. Mas quando chegamos aos 40 percebemos que é o momento de fazermos uma análise entender e rever as perdas, os desapontamentos para seguir adiante na busca da nossa satisfação pessoal.
O segredo é parar para pensar nos conflitos e dizer a si mesmo, o que gostaria de fazer que ainda não fiz? Aquele curso que sempre desejou fazer e que sempre fica para depois. Ou mesmo se questionar: estou seguindo na vida com minha verdadeira vocação? Essa é a minha verdadeira habilidade? Ou estou fazendo de conta e realizando o que as pessoas esperam que eu faça. Essa resposta só você pode saber.
Existem pessoas que parecem ter nascido com um caminho totalmente delineado a seguir. Tudo parece estar pronto aos seus pés, da melhor forma possível e no tempo certo. Outras, como eu, como você, meio sem saber exatamente como conseguiu chegar até agora onde está, vai tentando fazer o melhor, tentando acertar em direção ao nosso próprio destino.
Errar é inevitável na busca da nossa autenticidade. Os tropeços são os ensinamentos que abrem nossos olhos para um novo horizonte. Por isso, é importante estar atento aos sinais que a vida nos dá. O universo está sempre a nosso favor, através das nossas intuições, indicando o melhor caminho a seguir.Quantas vezes uma decisão aparentemente sem importância muda o rumo de nossas vidas? É como se houvessem forças invisíveis nos encaminhando rumo ao nosso destino. Algo que nunca tínhamos pensando, que quando acontece, nos dá uma sensação de plenitude e realização. É quando nos damos conta de como estávamos nos desviando do nosso Eu verdadeiro. Isso chama-se autenticidade. Reflita !
Agora, voltando às celebridades da foto, se depender da listinha preparada pelo site da revista norte-americana “People”, a máxima está mais do que certa. É que eles escolheram uma turma de mulheres famosas que já estão na casa dos 40 anos e que nunca estiveram tão jovens e bonitas quanto agora.
(Fotos de Jennifer Aniston, de 40 anos; Sandra Bullock, de 45; Courteney Cox, de 45; Julia Roberts, de 42; Nicole Kidman, de 42; Julianne Moore, de 49, e Halle Berry, de 43).
Fotos e parte do texto coletadas do site Glamurama com adaptação do texto realizada pela equipe de redação do Evento Beleza Sustentável.

Fonte web: Beleza Sustentável

Lipoaspiração?

Sujeito iluminado... olha a letra da música desse cara... meu respeito a ti Herbert Vianna.
"Pelo amor de Deus, eu não quero usar nada nem ninguém,
nem falar do que não sei,
nem procurar culpados,
nem acusar ou apontar pessoas,
mas ninguém está percebendo
que toda essa busca insana pela estética ideal
é muito menos lipo-as e muito mais piração?
Uma coisa é saúde outra é obsessão.
O mundo pirou, enlouqueceu.
Hoje, Deus é a auto-imagem.
Religião é dieta.
Fé, só na estética.
Ritual é malhação.
Amor é cafona, sinceridade é careta, pudor é ridículo, sentimento é bobagem.
Gordura é pecado mortal. Ruga é contravenção.
Roubar pode, envelhecer não.
Estria é caso de polícia. Celulite é falta de educação.
Filho da puta bem sucedido é exemplo de sucesso.
A máxima moderna é uma só: pagando bem, que mal tem?
A sociedade consumidora, a que tem dinheiro, a que produz,
não pensa em mais nada além da imagem, imagem, imagem.
Imagem, estética, medidas, beleza. Nada mais importa.
Não importam os sentimentos, não importa a cultura,
a sabedoria, o relacionamento, a amizade, a ajuda, nada mais importa.
Não importa o outro, o coletivo.
Jovens não tem mais fé, nem idealismo, nem posição política.
Adultos perdem o senso em busca da juventude fabricada.
Ok, eu também quero me sentir bem, quero caber nas roupas,
quero ficar legal, quero caminhar correr, viver muito, ter uma aparência legal mas…
Uma sociedade de adolescentes anoréxicas e bulímicas, de jovens lipoaspirados,
turbinados aos vinte anos não é natural. Não é, não pode ser.
Que as pessoas discutam o assunto. Que alguém acorde. Que o mundo mude.
Que eu me acalme. Que o amor sobreviva.
'Cuide bem do seu amor, seja ele quem for' ".
(Cirurgia de Lipoaspiração? Composição de Herbert Vianna)


3 de fev de 2010

Quem não gosta de flores?!!!!

2 de fev de 2010

Odoiá, salve mãe Iemanjá


Salve Senhora, Rainha das Águas, Mãe de todos. Abranda o coração do Ser Humano. Que tuas águas lave o mundo da miséria e da ignorância. Sei que tens mostrado, como Mãe Sábia que és, os erros que teus filhos cometeram ao pensar que podiam subjugar a natureza.

Iemanjá é sincretizada com a Virgem Maria sob dois aspectos: Nossa Senhora dos Navegantes ou Candelária. Seus devotos lhe prestam homenagem no dia 02 de fevereiro, com flores brancas, perfumes, jóias prateadas, à beira-mar.
Se você não está proximo ao litoral, acenda uma velinha em casa (azul, branca ou prateada), reverencie esta Mãe Amorosa e faça seus pedidos. Ela protege as famílias, traz harmonia para o lar, equilíbrio para a mente e serenidade para resolver questões emocionais.
Se não tens costume de conversar com ela, apenas entregue os aspectos negativos de sua vida e de sua personalidade para que sejam lavados nas águas do Mar Sagrado, pelas mãos de Nossa Mãe e diga que re-conhece o seu Poder e sua Força.
Abaixo transcrevo uma oração:



Poderosa força das águas,
Inaê, Janaína, Sereia do Mar,
Saravá, minha mãe Iemanjá!
Leva para as profundezas do teu mar sagrado
Odoiá... Todas as minhas desventuras e infortúnios.
Traz do teu mar todas as forças espirituais,
Para alento de nossas necessidades.
Paz, esperança, Odofiabá...
Saravá, minha mãe Iemanjá!
Odofiabá...



(extraído do livro (Orações Umbandistas de todos os tempos")





O Mar é um grande Ponto de Força da Natureza, sempre que estiver à beira-mar não esqueça de reverenciar o Poder e as Forças que atuam ali...

1 de fev de 2010

Lammas, Jesus e a Colheita Feliz

Dia 2 de Fevereiro comemoramos no hemisfério Sul a celebração de Lammas, um dia sagrado no paganismo cuja origem remota aos cultos egípcios de fertilidade. Também comemoramos o Dia de Iemanjá, uma das mais importantes orixás dos cultos africanos; além disso, relacionados ao ritual de Lammas, Jesus e os Apóstolos nos darão dicas de como agradecer por sua Colheita Feliz. E, por mais incrível que pareça, todos os assuntos acima estão interligados!


Lammas é um dos oito Sabbats da Roda do Ano Celta/Wicca. Os quatro Sabbats principais (ou grandes) correspondem ao antigo ano gaélico e são chamados de Candlemas, Beltane, Lammas e Samhain. Os quatro menores são Equinócio de Primavera, Solstício de Verão, Equinócio do Outono e Solstício de Inverno.
Lammas, que ocorre entre o Solstício de Verão (Litha) e o Equinócio de Outono (Mabon), é a festa da primeira colheita, uma época de agradecimento aos Deuses por tudo o que colhemos. Agradece-se ao que foi bom e também ao que pareceu ruim, pois no paganismo crê-se que tudo o que acontece na vida faz parte no caminho evolutivo de cada um.

Lammas (ou Lughnasadh) é comemorado em 1 de Agosto no hemisfério Norte e 2 de Fevereiro no hemisfério Sul. O nome Lughnasadh veio duma festa agrícola típica dos celtas. Uma festa da colheita em honra ao deus céltico do Sol: Lugh (considerado o maior guerreiro dentre os celtas, pois derrotou os gigantes que exigiam sacrifícios humanos). Já o nome Lammas significa “Missa do Pão” (loaf Mass), que representa o alimento (geralmente pão ou bolo ou qualquer outra massa) feito com os grãos, que representam a colheita, e repartido (como alimento sagrado) entre os sacerdotes ou família ou mesmo entre amigos.

Este ritual já era praticado desde o Antigo Egito, logo após o período das cheias do Nilo (que ocorriam entre Junho e Setembro), período no qual aconteciam as principais colheitas e correspondiam aos signos de Ísis, Rá, Neit e Maat. Nestas celebrações, os sacerdotes, em número de doze (cada um representando um dos signos do zodíaco egípcio), juntos do Sumo-Sacerdote responsável pela celebração, reuniam-se neste sabbat para agradecer aos deuses pelas graças alcançadas.
Nestas celebrações, eram usados o pão (que representava o trigo colhido em sua forma final) e o vinho (que representava as uvas em sua forma final), que eram repartidos entre todos durante o ritual. Esta celebração também era realizada em outras datas festivas, como o Pessach.

Lammas e a Eucaristia
Este ritual foi praticado por Yeshua e seus discípulos e acabou se tornando conhecido como a “Santa Ceia” pelos católicos. Nos evangelhos, a Última Ceia (também chamada de “Ceia do Senhor” ou “Ceia Mística”) foi a última refeição compartilhada por Jesus com os doze apóstolos antes de sua “morte e ressurreição”. A Última Ceia tem sido objeto de várias pinturas, sendo a mais famosa o afresco de Leonardo da Vinci em Milão, pintada em 1498, repleta de referências Astrológicas.

Durante a Última Ceia, e em referência específica ao tomar o pão e o vinho, Jesus contou aos seus discípulos, “Façam isso em memória de mim”, (1 Coríntios 11:23–26). Outros eventos e diálogos foram gravados nos Evangelhos Sinóticos e no de São João. Todas as igrejas cristãs interpretam o descrito como a instituição da Eucaristia.

O vaso que era usado para servir o vinho ficou conhecido também como o “Cálice Sagrado”, e tem sido um dos supostos objetos da literatura do “Santo Graal” na mitologia cristã (embora fique claro que são duas taças distintas na mitologia católica).

A Última Ceia ocorreu na véspera da morte de Jesus. O Novo Testamento narra que Jesus pegou no pão em suas mãos, deu graças e disse aos Seus discípulos: “Este é o meu corpo que será entregue a vós”. Do mesmo modo, ao fim da ceia, Ele pegou o cálice em suas mãos, levantou ao alto e disse aos seus discípulos: “este é o meu sangue, o sangue da vida que será derramado por vós.”

O que o Ritual representa?
Atualmente, este ritual têm sido realizado como um ato simbólico, representando um agradecimento por tudo o que conseguimos colher neste período (sejam realizações materiais, intelectuais, emocionais ou espirituais). A sociedade atual e materialista (na qual “ser feliz” significa “ter dinheiro”) possui a mentalidade nefasta de estar sempre pedindo, pedindo, pedindo… mas poucos têm a humildade de agradecer; Lammas é um ritual que nos lembra exatamente disso. Agradecer pela colheita feliz que temos em nossas vidas. Como Jesus fez, os sacerdotes egipcios faziam antes dele e os magos celtas fazem até hoje.

Iemanjá e o 2 de Fevereiro
Agora sabemos o porquê da festa de agradecimento aqui no Hemisfério Sul, mas que relação isto teria com Iemanjá, senhora dos mares na Umbanda e no Candomblé?
A resposta é simples: basta entender como a Roda do ano funciona. Em Salvador, ocorre anualmente, no dia 2 de Fevereiro, uma das maiores festas do país em homenagem à “Rainha do Mar”. A celebração envolve milhares de pessoas que, trajadas de branco, saem em procissão até ao templo-mor, localizado próximo à foz do rio Vermelho, onde depositam variedades de oferendas, tais como espelhos, bijuterias, comidas, perfumes e toda sorte de agrados. Isso porque Iemanjá foi sincretizada à Nossa Senhora dos Viajantes, uma das diversas versões de Nossa Senhora que teve origem em Portugal no século XV. mas N. S. dos Viajantes foi uma adaptação da Santa conhecida como Nossa Senhora das Candeias (velas) ou Nossa Senhora da Candelária.
Esta santa, por sua vez, foi uma “adaptação” (para não dizer que os Católicos surrupiaram as datas das principais festas pagãs de novo) das festividades de Candlemas, também conhecido como Imbolc, Oimelc e Dia da Senhora.
Candlemas é o Festival do Fogo que celebra a chegada da Primavera. O aspecto invocado da Deusa nesse Sabbat é o de Brígida, a deusa celta do fogo, da sabedoria, da poesia e das fontes sagradas. Brigit também é conhecida como a Deusa-Tríplice, Senhora da Lua, filha de Dagda e uma das Tuatha de Danann. Uma versão celta da própria Ísis.
Como os sabbats são invertidos no hemisfério Norte e Sul, então enquanto comemoramos Lammas aqui no Brasil, os Europeus comemoram… isso mesmo! Candlemas!

Marcelo Del Debbio

Fonte: Teoria da Conspiração

Em entrevista, Gisele Bündchen conta como foi a gravidez e o parto de seu primeiro filho

Primeira entrevista da top ocorreu seis semanas após o nascimento do filho. O programa Fantástico, da Rede Globo, exibiu na noite deste domingo a primeira entrevista da top model Gisele Bündchen após o nascimento de seu filho, Benjamim. Durante a conversa Gisele falou sobre a gravidez, o parto e a escolha do nome do filho.
O ponto mais surpreendente da entrevista foi a revelação de Gisele de que seu filho nasceu em casa e não em um hospital de Boston, nos Estados Unidos. Segundo Gisele, o parto foi na banheira da sua casa e durou oito horas.
Segundo a top, no entanto, não ouve sofrimento ou dor durante a chegada do seu primogênito. Ela revelou que havia se preparado para estar totalmente presente durante o nascimento do filho.
- O meu [parto] foi na banheira. Eu me preparei muito. Queria um parto em casa, sempre achei muito importante porque queria estar consciente na hora do nascimento. Eu não queria estar dopada e sim presente. Então, eu me preparei bastante. Fiz muita yoga e meditação. Então, consegui ter um parto super tranquilo em casa. Ele nasceu tranquilo, é um anjinho. Não chorou após nascer e ficou o tempo inteiro no meu colo -, contou.
Gisele falou também sobre a escolha do nome do pequeno e do desejo tanto dela quanto do esposo, Tom Brady, de que o nome soasse bem tanto em português quanto em inglês.
- Eu sou brasileira e ele é americano, então cada um tem um sotaque. Eu adoro David, mas aí ele não gostava. Eu gostava de Joaquim, ele achava que Joaquim não iria ficar bom. A gente está chamando ele de Benjamim. Eu chamo ele de meu amorzinho. O que eu posso fazer? Para mim ele não tem nome, ele é meu benzinho, meu amorzinho.
Fonte: zerohora.com




Tietagem à parte, já que a Ana Marafigo é fanzoca da Gisele, adiciono aqui no blog esta notícia porque acho importante uma Top tão Top como a Gisele ser adepta do Parto Natural. É importante divulgarmos essa idéia, as mulheres precisam se re-lembrar como é Dar à Luz.
Dar à Luz é entregar-se à Luz, não estamos dando Luz ao bebê que nasce mas recebendo a Luz que ele nos traz neste Rito de Passagem, a Iluminação do Êxtase, do prazer, do gozo, da Alegria de parir, de tornar-se Mãe.


No blog Maternidade Natural, da Sofia Costa, tem uma postagem bem legal para as gestantes interessadas no Parto Consciente: http://maternidadenatural.blogspot.com/2009/09/posicoes-para-o-parto.html


Posições para o Parto


Se algum artigo neste blog estiver como "autoria desconhecida" e você souber informar, agradecemos e faremos a devida correção. Solicitamos também que, ao ser extraída qualquer informação desta página, seja adicionada à devida autoria ou endereço:
http://clafilhasdalua.blogspot.com/