18 de mar de 2008

Início do Ano



Aqui no Brasil o outono é um verdadeiro início de ano. O país inteiro está saindo do período de festas, férias e carnaval e prepara-se para voltar a suas rotinas de trabalho e estudos. O Brasil realmente começa a funcionar em torno do fim de março.
No outono param as chuvas, a temperatura desce, as árvores entram em descanso, caem as folhas e a cada dia a duração da noite é maior. As pessoas voltam para suas casas, concentram-se em seus projetos e propósitos pessoais.
Sintonizado neste movimento as culturas antigas criaram os rituais de passagem e as cerimônias de início das estações, com o objetivo de auxiliar a conscientizar os temas que vem a tona com as estações e o ciclo zodiacal do Sol.
No outono experimenta-se o silêncio e a meditação. Escuta-se e observa-se o mundo interior. Realiza-se curas das feridas da alma. Liberta-se da negatividade, culpas e medos. Identifica-se a nova vontade e necessidades, visualiza-se o novo ano e projeta-se metas segundo a missão e propósitos pessoais.
Enquanto o Sol transita pelo signo de Áries, entra-se no útero da mãe terra para renascer fortalecido na auto-estima, na confiança de si, no ancoramento amadurecido e com os pés fincados com responsabilidade, alegria e sabedoria no chão sagrado desta Terra. Enquanto o Sol ascende a chama do espírito e concentra sua ação nos mistérios da individualidade e seus poderes de manifestação.
Assim, como as árvores liberam suas folhas pode-se libertar dos apegos, atitudes e comportamentos negativos, crenças e pensamentos que não correspondem ao momento atual. E como as folhas servem de adubo e nutrição a árvore, tais coisas das que se despoja ajudam a reconhecer onde tem que se aperfeiçoar e transformar.
Auto-curados e conscientes de si, em pleno reconhecimento das forças interiores, dons e talentos esta-se em condições de iniciar a nova jornada do ano solar.

(texto extraído do site: http://www.xamanismo.com.br/)

17 de mar de 2008

O Colar da Deusa


Estar reunida em círculo com minhas irmãs me faz imaginar um lindo colar... cada uma de sua maneira fazendo parte desta construção, desta jóia para embelezar a Deusa. Somos como conchas, sementes, pedras, cascas, flores... peças de um lindo colar. Cada uma da sua maneira, cada uma com sua essência, todas de mãos dadas, formando elos de uma corrente forte e segura. Foi assim que vi a última Vivência Feminina realizada pelo Clã. Admiro essas mulheres que se abrem em partilha e se entregam na vivência. Hei (assim falei)!
Ana Eçaí
Vivência Terapêutica 15/03 - Capela de Santana/RS
Se algum artigo neste blog estiver como "autoria desconhecida" e você souber informar, agradecemos e faremos a devida correção. Solicitamos também que, ao ser extraída qualquer informação desta página, seja adicionada à devida autoria ou endereço:
http://clafilhasdalua.blogspot.com/